Eleições: Rodrigo Garcia (PSDB) oficializa candidatura em SP

"Meus adversários querem dividir o Estado de São Paulo", disse governador tucano em evento do partido neste sábado, dia 30, com candidatos a deputado e funcionários públicos
Rodrigo Garcia: candidatura de governador é oficializada neste sábado (Estado de São Paulo/Flickr)
Rodrigo Garcia: candidatura de governador é oficializada neste sábado (Estado de São Paulo/Flickr)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 30/07/2022 às 15:51.

O governador Rodrigo Garcia (PSDB) fez críticas aos dois principais adversários e apresentou-se como o candidato de fora da polarização nacional na convenção do PSDB, que oficializou seu nome na disputa pela reeleição.

Sem citar nomes, o tucano disse em seu discurso que o ex-prefeito Fernando Haddad (PT), que lidera as pesquisas de intenção de voto, "tomou um cartão vermelho e voltou pra casa" ao tentar se reeleger na capital.

Ainda segundo Garcia, Haddad fez "uma das piores gestões" da cidade de São Paulo. "Meu adversário teve a proeza de aumentar a fila da creche", disse o governador.

Sobre Tarcísio de Freitas (Republicanos), o tucano repetiu o bordão de que o aliado de Jair Bolsonaro (PL), que nasceu no Rio de Janeiro, "caiu de paraquedas em São Paulo".

"Não vamos permitir que façam São Paulo parquinho de candidato à Presidência da República", disse Rodrigo Garcia. Em seguida, o tucano emendou: "Meus adversários querem dividir o Estado de São Paulo".

Em um evento inspirado nas convenções Democratas e Republicanas, claques de candidatos a deputado lotaram as arquibancadas do Ginásio Ibirapuera, na capital, enquanto assessores, funcionários públicos e políticos cercaram o palco no formato 360º, neste sábado, 30.

O vereador Milton Leite (UB) e o casal Carla Morando (deputada estadual do PSDB) e Orlando Morando (prefeito tucano de São Bernardo do Campo) levaram as maiores torcidas organizadas.

No momento em que aliados disputam a escolha do vice, a convenção de Garcia reuniu as lideranças dos partidos que o apoiam, como Rebata Abreu (Podemos), Baleia Rossi (MDB) e Antônio Rueda (UB).

A definição, porém, foi adiada.

A grande ausência foi o governador João Doria (PSDB), que está em viagem de trabalho aos Estados Unidos.

Ele teve o nome citado apenas uma vez na fala de Garcia, de forma lateral.

Veja também: