Doria diz pode apoiar candidato que faça frente a Lula e Bolsonaro

A fala veio durante o CEO Conference, evento do BTG Pactual que teve início nesta terça, 22 de fevereiro
 (BTG Pactual/Divulgação)
(BTG Pactual/Divulgação)
G
Gilson Garrett Jr

Publicado em 22/02/2022 às 12:48.

Última atualização em 22/02/2022 às 12:59.

O governador de São Paulo e pré-candidato à presidência, João Doria (PSDB), afirmou, nesta terça-feira, 22, que pode apoiar um candidato da terceira via que tenha mais competitividade contra o presidente Jair Bolsonaro (PL) e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

A fala veio durante o CEO Conference, evento do BTG Pactual que teve início nesta terça. “Se lá na frente eu precisar oferecer o meu apoio para não ter dicotomia [de Lula e Bolsonaro] estarei ao lado daquele, e de quantos que serão capacitados, para ganhar”, disse.

Mais cedo, no mesmo evento, o também pré-candidato, Sergio Moro (Podemos), defendeu a união dos partidos para fazer frente a Lula e Bolsonaro.

Na última pesquisa EXAME/IDEIA para a disputa presidencial, divulgada em janeiro, Doria aparece com 4% das intenções de voto. Lula receberia 41% dos votos no primeiro turno, seguido por Bolsonaro, com 24%, e pelo ex-juiz Sergio Moro (Podemos), com 11%. Já o ex-governador Ciro Gomes (PDT) teria 7% dos votos. Brancos e nulos somam 11%.

A margem de erro é de três pontos percentuais para mais ou para menos. A pesquisa EXAME/IDEIA foi registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número BR-03460/2022. Clique aqui para ler o relatório completo.

Desde que seu nome foi lançado como pré-candidato para disputar o Palácio do Planalto, as intenções de voto a Doria nas pesquisas oscilaram entre 2% e 4%. Mesmo assim, o governador paulista defende que todos os pré-candidatos se mantenham disponíveis para o pleito de outubro. Doria ainda disse que mantém conversas com nomes de outros partidos para tentar compor uma chapa mais ampla.

“Ainda temos um caminho a percorrer e temos bons nomes. Pode haver uma terceira via fortalecida pela soma de outros partidos. O que o Cidadania e o PSDB fizeram foi um gesto pela democracia”, afirmou.

O partido de Doria, o PSDB, aprovou, na semana passada, uma federação com o Cidadania para as próximas eleições, o que cela um casamento nacional entre as duas legendas durante quatro anos. Ainda de acordo com o governador, uma aliança com o MDB e com o União Brasil também “segue em muito bom tom”.

“Com a federação, amplia-se ainda mais essa oportunidade de ter mais deputados, federais e estaduais, e senadores no mesmo bloco. Para o PSDB isso não será problema. Os deputados e senadores terão apoio do partido para disputar com igualdade com outros candidatos de outras legendas”, afirmou.

O CEO Conference reúne nestes dias 22 e 23 de fevereiro os principais líderes empresariais, políticos e da sociedade civil do Brasil. Este ano, o principal objetivo da reunião será debater os desafios do país e as principais tendências em economia, política e tecnologia para 2022. O evento é organizado pelo BTG Pactual (do mesmo grupo que controla a EXAME).

Entre os participantes confirmados estão o presidente da República, Jair Bolsonaro, e os pré-candidatos João Doria (PSDB), governador do estado de São Paulo, o ex-ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro (Podemos), e o ex-governador do Ceará, Ciro Gomes (PDT).