CPI da Covid decide adiar leitura de relatório final para quarta-feira

Leitura do relatório final da CPI da Covid no Senado foi adiada por decisão do presidente Omar Aziz e votação deverá ficar a semana seguinte
 (Edilson Rodrigues/Agência Senado/Flickr)
(Edilson Rodrigues/Agência Senado/Flickr)
R
Reuters

Publicado em 17/10/2021 às 16:48.

Última atualização em 17/10/2021 às 17:12.

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Covid, no Senado, adiou a apresentação de seu relatório final, marcada inicialmente para a próxima terça-feira, para a quarta-feira, 20.

Em entrevista à CNN Brasil, o presidente da comissão, senador Omar Aziz (PSD-AM), disse que, com esse adiamento, a votação sobre o relatório, inicialmente prevista para quarta-feira, deve ficar para o dia 26 deste mês, na outra semana.

No lugar da leitura do relatório, na terça-feira a CPI deve ouvir o depoimento de Elton da Silva Chaves, integrante da Comissão Nacional de Incorporação de Tecnologias, do Sistema Único de Saúde (Conitec).

Segundo o senador Renan Calheiros (MDB-AL), relator da CPI, o adiamento foi decidido por Aziz.

"E eu concordo. Teremos mais tempo para discutir melhor o parecer e encaminhar melhores soluções. Acho que isso ajudará bastante no debate, dará mais tempo", disse Renan ao site G1.

Na sexta-feira, em entrevista à rádio CBN, Renan indicou que seu relatório pediria o indiciamento do presidente Jair Bolsonaro e de outras autoridades.

Uma fonte com conhecimento do assunto disse à Reuters que haveria alguma resistência no pedido de indiciamento de Bolsonaro por genocídio de indígenas, além dos pedidos referentes ao atual ministro da Defesa, Braga Neto, que foi ministro da Casa Civil e coordenador da resposta do governo à pandemia, e da inclusão do senador Flavio Bolsonaro (Patriota-RJ).

Em entrevista à GloboNews, Renan disse estar aberto a eventuais modificações em seu parecer.