Cinco hidrelétricas no Sudeste operam com menos de 10% dos reservatórios

Nível baixo de reservatório de hidrelétricas preocupa no Sudeste. A usina hidrelétrica de Ilha Solteira já opera no volume morto
A usina hidrelétrica de Ilha Solteira, a maior de São Paulo, já opera no volume morto por causa da seca (CESP/Divulgação)
A usina hidrelétrica de Ilha Solteira, a maior de São Paulo, já opera no volume morto por causa da seca (CESP/Divulgação)
A
Agência O GloboPublicado em 16/09/2021 às 05:55.

Sem chuvas, o nível dos reservatórios de algumas hidrelétricas tem ficado cada vez mais baixo. A situação ainda não impacta a produção de energia, mas é mais um sinal de alerta sobre a gravidade da crise hídrica. A usina hidrelétrica de Ilha Solteira, a maior de São Paulo, já opera no volume morto por causa da seca. O nível de seu reservatório registrava -1,45% de água.

  • Entenda como as decisões do Planalto, da Câmara e do Senado afetam seus investimentos. Assine a EXAME.

A usina faz parte do subsistema Sudeste/Centro-Oeste, que concentra a maior parte da geração de energia hidrelétrica do país. Dados do Operador Nacional do Sistema (ONS) apontam que, até o dia 14, o nível dos reservatórios estava em 18,38%.

Além de Ilha Solteira, outras quatro usinas estão com os níveis de reservatórios muito baixos. A situação é pior na usina de Três Irmãos, que fica na bacia do Rio Tietê. O nível do reservatório chegou a 1,98%.

A usina de Marimbondo está em 9,21%. Esta unidade é a que tem a segunda maior potência instalada dentre as usinas do complexo Furnas, com 1.440 MW. Ela fica no Rio Grande. Maior usina do sistema Furnas, com capacidade instalada de 2.082 MW, a unidade de Itumbiara está com nível do reservatório em 9,68%.

A usina Governador Bento Munhoz da Rocha Netto, no Paraná, registra o nível de 8,99%. É a maior da Copel, com 1.676 MW de potência.