Cidade do interior de SP bate recorde e tem maior temperatura da história

O município de Lins teve 43,5°C nesta quarta-feira, 7, a maior temperatura desde 1933. Capital quase superou o recorde histórico

O estado de São Paulo atingiu, nesta quarta-feira, 7, a maior temperatura já registrada pelo Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) desde que as medições começaram, há mais de 100 anos. O recorde foi na cidade de Lins, no interior do estado, por volta das 16 horas, com a marca de 43,5°C. O recorde anterior foi registrado em 1933, no município de Iguape, quando a temperatura chegou a 43°C.

Na capital paulista, a temperatura nesta quarta-feira ficou em 37,3°C, valor medido no Mirante de Santana, zona norte da cidade. Na última sexta-feira, 2, a cidade de São Paulo registrou 37,4°C, maior temperatura do ano e a segunda marca da série histórica das medições feitas pelo Inmet desde 1943. O recorde de temperatura máxima na cidade ainda é do dia 17 de outubro de 2014, quando foi registrado 37,8 °C.

"O calor intenso é causado por um grande bloqueio atmosférico que vai fazer com que o estado fique em alerta pelo menos até o dia 10 de outubro. A gente teve uma estiagem, muita poeira e fuligem que fizeram a temperatura subir. Eu acredito que ainda esta semana a gente possa bater novos recordes", diz Mamedes Luiz Melo, Meteorologista do Inmet.

Os recordes em SP

43,5°C de Lins em 07/10/2020

43,0°C de Iguape em 03/02/1933

42,8°C de Registro em 02/10/2020

42,4°C de Dracena em 06/10/2020

42,2°C de Catanduva em 05/10/2020

42,1°C de Iguape em 16/01/1956, Catanduva e Votuporanga em 03/10/2020

41,9°C de Lins em 30/09/2020 e 06/10/2020

Planeta está mais quente

O mês passado foi o setembro mais quente já registrado no mundo, anunciou nesta quarta-feira (7) o serviço sobre mudança climática do programa europeu Copernicus, que indicou que 2020 pode ser o ano mais quente da história, superando 2016.

O período de 12 meses entre outubro de 2019 e setembro de 2020 fica 1,28°C acima da média das temperaturas da era pré-industrial.

Levando em consideração que os últimos cinco anos foram os mais quentes da história, o dado aproxima o planeta do limite de 1,5°C, a meta do Acordo de Paris.

(Com AFP)

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.