A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Bolsonaro lamenta tiroteios nos EUA, mas não apoia desarmamento

O presidente é um defensor da posse e comercialização de armas de fogo e munição no Brasil

São Paulo - O presidente Jair Bolsonaro lamentou neste domingo a ocorrência de dois atentados a tiros nos Estados Unidos, no final de semana, que resultaram na morte de 30 pessoas, mas disse que "não é desarmando" as pessoas que tais casos podem ser evitados.

"Lamento, já aconteceu no Brasil também. Lamento. Agora, não é desarmando o povo que você vai evitar isso aí", disse ele a jornalistas em Brasília.

"O Brasil é, no papel, extremamente desarmado e já aconteceu coisa semelhante aqui no Brasil", acrescentou.

O presidente é um defensor da posse e comercialização de armas de fogo e munição no país, uma de suas principais promessas de campanha.

Sobre o tema, Bolsonaro já colheu algumas derrotas no Parlamento, como no caso do decreto que flexibilizou a posse e o porte de armas.

O texto foi suspenso pelo Senado e, diante da iminente confirmação da decisão pela Câmara, o governo decidiu revogar a medida.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também