Vigor 2110Vn

Se avaliarmos o Vigor 2110Vn segundo os critérios de variedade de recursos e customização, esse roteador se sairá excepcionalmente bem. Ele é capaz de estabelecer quatro redes sem fio simultâneas, controlar as sessões de tráfego na internet pelo IP do usuário, estabelecer filtros de conteúdo e implementar vários métodos de defesa contra DoS, só para […]
L
Leonardo VerasPublicado em 04/04/2012 às 17:04.
logo-infolab

Se avaliarmos o Vigor 2110Vn segundo os critérios de variedade de recursos e customização, esse roteador se sairá excepcionalmente bem. Ele é capaz de estabelecer quatro redes sem fio simultâneas, controlar as sessões de tráfego na internet pelo IP do usuário, estabelecer filtros de conteúdo e implementar vários métodos de defesa contra DoS, só para citar alguns truques. Contudo, o desempenho do 2110Vn nos testes de transferência de arquivos foi apenas mediano e algumas decisões da DrayTek sobre a segurança da interface web são questionáveis. 

Ainda assim, esse roteador é uma boa escolha para quem tem uma empresa pequena e, por exemplo, gostaria de compartilhar a conexão à internet com clientes. 

 Como todos esses recursos seriam inúteis se o sinal de Wi-Fi do 2110Vn fosse fraco, vamos direto ao essencial e relatar o desempenho das antenas. Para avaliar o roteador o INFOlab utilizou os notebooks LG P430 e Asus A43e e um desktop Core 2 Duo 2,1 GHz, 2 GB, com placa de rede Marvell Yukon. As medições foram realizadas com o software Passmark 7.0v. Para aferir a conectividade HSPA+ foi utilizado um SIMCard Vivo HSPA+ (Velocidade nominal: Download - 42 Mbit/s / Upload - 11 Mbit/s). Durante os testes foram realizadas três medições. A primeira com o computador no mesmo ambiente do roteador, outra a 16 metros de distância e uma terceira com distância de 10 metros com uma parede de concreto de barreira.

Ao longo de todo o teste, o roteador conseguiu sustentar um sinal relativamente forte, exceto quando uma parede de concreto se intrometia entre o notebook e o 2110Vn. Quando a distância entre os dois aparelhos era de apenas um metro, obtivemos uma taxa de transferência de arquivos muito boa de 64 Mbit/s. Previsivelmente, a velocidade de envio de dados caiu para menos da metade (30,2 Mbit/s) quando levamos o notebook para outra sala a 10 metros de distância. Desse ponto até a marca de 16 metros, a taxa de transferência variou muito pouco, registrando 30,6 Mbit/s. Nossa maior decepção quanto a velocidade das transferências é o fato de que esse roteador utiliza quatro portas fast ethernet e apenas uma gigabit ethernet para a WAN.

 O desempenho do 2110Vn como roteador em si foi bom? Certamente. Mas esses resultados ficam em segundo plano quando se considera a gama de recursos de rede desse aparelho. São tantas opções de configuração que é fácil perder-se e a interface não ajuda nem um pouco. 

O 2110Vn merece muitos elogios pelo grau de customização que ele oferece, mas não podemos recomendar esse roteador pela organização ou pela estética dos menus. Veteranos do campo das interfaces de rede são perfeitamente capazes de se acostumar com o 2110Vn. Iniciantes, no entanto, provavelmente preferirão manter distância desse roteador. 

 Uma vez vencido o obstáculo da interface, o usuário terá a sua disposição uma grande gama de configurações. Estas se dividem em uma série de categorias que descreveremos brevemente a seguir.

A primeira seção, denominada Quick Setup Wizard, contém as opções básicas de instalação de um roteador. Há, por exemplo, a opção de mudar o método de conexão com a internet (PPPoE, PPTP, L2TP, Static IP e DHCP). Aqui também são expostos alguns números referentes à conexão, como o IP ou o número de pacotes enviados e recebidos.

Um pouco mais interessante é a seção seguinte, a Internet Access. Aqui é possível configurar uma VPN (PPTP/L2TP) e uma VLAN. Nesse mesmo menu desdobram-se as opções do PPPoE e pode-se alternar entre IP estático e dinâmico. Outra opção útil para controlar o acesso à rede por várias máquinas é a possibilidade de vincular um IP a um MAC address determinado. Já a parte de NAT permite ao usuário redirecionar um IP e sua porta para outro IP ou intervalo de IP. Aqui também existe a opção de configurar um DMZ para um IP determinado, o que libera todas as portas desse IP. 

 A seção de firewall é similarmente completa. Aqui uma firewall pode ser implementada para o VOIP e para o a transferência de dados. A sofisticação aumenta com a possibilidade de estabelecer regras de firewall para cada aspecto dos diálogos da rede, desde a direção do acesso (de uma VPN para a LAN e vice-versa, por exemplo) até o simples bloqueio por IP de origem. Há toda uma área dedicada à defesa contra ataques de negação de serviço, que são abordados de maneira especializada, com estratégias específicas para SYN flood, UDP flood e ICMP flood. 

 O 2110Vn não se omite quanto aos filtros de conteúdo, que podem ser usados para limitar o tipo de site e arquivo que é acessado através da rede. Nesta seção, o roteador oferece, inclusive, uma lista de aplicativos que podem ser filtrados, como o Kazaa ou o MSN. Palavras também podem sofrer censura, para o alívio dos pais preocupados. A DrayTek chega ao ponto de oferecer um conjunto de filtros regulado por uma agência federal da Alemanha que se especializou na eliminação de meios considerados prejudiciais aos jovens. Sem entrar na discussão das implicações éticas de todos esses filtros, é inegável que o 2110Vn confere ao usuário um amplo controle sobre o que pode ser visualizado em sua rede. Em uma nota menos polêmica, o 2110Vn também permite o ajuste do limite de banda utilizável por cada IP ou faixa de IP.

 Ainda poderíamos listar outros recursos do 2110Vn, como a possibilidade de configurar até três Dynamic DNS ou a capacidade de ativar computadores que estiverem conectados à LAN remotamente. Contudo o extra que mais merece destaque é a opção de criar até quatro SSID simultâneos, que é a forma mais fácil e rápida de montar uma estrutura hierárquica de redes sem fio. Em outras palavras, o usuário pode estabelecer redes distintas para acesso público ou privado. Essas redes são independentes tanto no que diz respeito aos ajustes de segurança quanto à largura de banda oferecida, que pode variar entre 100 Kbit/s e 50 Mbit/s. 

 Apesar de toda essa atenção ao detalhe, a DrayTek cometeu um deslize na segurança da interface web. Por padrão, a conta de usuário comum pode ser acessada sem o uso de uma senha. Tal situação se mantém até mesmo depois que a senha de administrador foi alterada. Quando o login de Administrador é efetuado, a interface reconhece o usuário como tal em um aviso no canto da tela, mas não menciona o status da outra conta. A questão é que quem já alterou a conta de administrador pode continuar utilizando o roteador sem saber que a conta comum está desprotegida. Claro, esse login tem menos privilégios, mas opções como a desativação da WLAN estão à disposição de quem quer que perceba a ausência da senha. A DrayTek detalha a existência da conta de usuário comum no manual, mas o ideal seria que ela tivesse uma senha qualquer, mesmo que simples, para evitar que os mais desatentos se esqueçam de configurá-la e deixem-na aberta.

Ficha técnica

Velocidade nominal 802.11 b/g/n (2,4 GHz – 300 Mbps)
Conectividade 3G e 4G (HSPA+),4 portas Fast Ethernet,1 porta Gigabit Ethernet (WAN).3RJ 11
Conexões 1 porta USB
Dimensões 21,7 x 13,6 x 4,8 cm

Avaliação técnica

Prós Repleto de recursos e meios de customização;
Contras Uso de portas Fast Ethernet; interface poderia ser mais intuitiva;
Conclusão O 2110Vn é ideal para pequenas empresas e para usuários avançados que gostam de controlar todos os aspectos da rede;
Média 8.6
Preço R$ 1095