Ucrânia prepara 'exército hacker’ no Telegram para atacar Rússia

A empreitada cibernética contra a Rússia é uma das apostas para agir na guerra que assola a Ucrânia
 (Getty Images/SOPA Images / Colaborador)
(Getty Images/SOPA Images / Colaborador)
Por Da redação, com agênciasPublicado em 26/02/2022 20:48 | Última atualização em 26/02/2022 21:20Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Ucrânia afirmou neste sábado, 26, que vai recrutar profissionais de tecnologia da informação (TI) para intensificar as investidas nos sistemas de internet da Rússia.

Segundo a Reuters, no final desta semana, a Ucrânia já havia convocado hackers para ajudar a proteger a infraestrutura crítica digital do país e realizar missões de espionagem cibernética contra tropas russas.

"Estamos criando um exército de TI", escreveu o vice-primeiro-ministro Mykhailo Fedorov, em um tweet vinculado a um canal no aplicativo de mensagens Telegram, que publicou uma lista de sites russos proeminentes e que deveriam ser os possíveis alvos do grupo.

"Haverá tarefas para todos. Continuamos lutando na frente cibernética. A primeira tarefa é no canal para especialistas cibernéticos".

A agência de notícias apurou que o grupo ucrâniano no Telegram listou 31 grandes empresas e organizações estatais russas, incluindo a gigante de energia Gazprom, o segundo maior produtor de petróleo da Rússia, Lukoil, três bancos e vários sites governamentais.

O principal meio de ataque é o chamado DDoS (ataque de distribuição negativa de rede), que visa comprometer equipamentos de hardware por meio de superaquecimento.

Quer saber tudo sobre a invasão da Ucrânia e como isso impacta o Brasil e você? Leia na EXAME