Sony Xperia Z2

logo-infolab

O Sony Xperia Z2 é um dos melhores smartphones do mercado mundial por uma série de razões. As mais claras são o processador Qualcomm Snapdragon 801 (o mais recente da marca) com velocidade máxima de 2,3 GHz, a memória RAM de 3GB, e a câmera que tira fotos com 20,7MP e grava vídeos em 4K, resolução que é quatro vezes maior do que a Full HD. Ou seja, o aparelho está no topo da “cadeia alimentar” dos smartphones, ao lado de excelentes concorrentes como o Samsung Galaxy S5, LG G3 e o Nokia Lumia 1520.

O sistema Android 4.4 KitKat, no entanto, é modificado — prática comum da Sony. As melhores alterações estão no software da câmera, que conta com diversos efeitos e modos de captura e filmagem interessantes. Esse é o caso da gravação de vídeos em câmera lenta, que acontece com resolução HD a 120 quadros por segundo.

Além do hardware potente e sistema Android atualizado, o Xperia Z2 tem algo incomum entre os gadgets topo de linha: TV Digital. O recurso funciona da forma tradicional, ou seja, é preciso conectar um fone de ouvido para melhorar a recepção. O que deixa a desejar é o fato de que o sinal é 1-seg, o que não permite que o usuário assista televisão com toda a resolução de tela do seu smartphone.

O Xperia X2 é vendido no Brasil por um valor alto: 2.499 reais. Apesar de ser o equivalente a três salários mínimos, o aparelho tem uma vantagem no quesito custo-benefício em relação aos seus concorrentes: em vez de vender separadamente a pulseira fitness, chamada de SmartBand, o acessório acompanha o smartphone na caixa. Com ele, é possível contar passos, receber notificações e monitorar o sono, mas não ver as horas, já que não há um visor. Sua bateria dura aproximadamente cinco dias e o recarregamento é feito por meio de uma porta microUSB.

Design

O design do Xperia Z2 não mudou quase nada em relação ao do seu antecessor chamado de Z1. Ele continua com um formato retangular, com cantos pontudos e construção de vidro tanto na parte frontal quanto na traseira. Segundo análise do INFOlab, ele parece ser um pouco mais resistente a riscos, mas a edição de cor preta é a que deixa eventuais danos mais aparentes. O gadget é envolto em uma estrutura de alumínio que parece ajudar a proteger o aparelho em eventuais quedas.

A tela foi algo que melhorou consideravelmente. O Z1 não tinha bons ângulos de visão, quando comparado aos concorrentes à época de seu lançamento no ano passado. A Sony resolveu essa questão no Xperia Z2 de maneira relativamente simples: colocando um painel LCD IPS no smartphone. O Z2 tem um display com resolução de 1080 por 1920 pixels, com densidade de 424 pixels por polegada.

Além disso, a tela ficou ainda maior, passando de 5 polegadas para 5,2 polegadas. Ou seja, quem possui um Z1 e quiser fazer o upgrade pode encontrar dificuldade no uso de capas ou outros acessórios.

Claro que o tamanho do Z2 faz com que ele se enquadre em uma categoria chamada por alguns de “phablets” (intermediários entre smartphones e tablets). Isso implica que o aparelho é grande demais para algumas situações do dia a dia. É inviável, por exemplo, tocar o topo da tela no canto oposto ao do seu polegar. A ergonomia é boa? Se você está acostumado com celulares de 4 polegadas, você irá certamente estranhar a princípio. Mas ele não é dos mais chamativos quando colocado no bolso da calça. Ele mede 146.8 x 73.3 x 8.2 mm.

O review continua depois da galeria de imagens que contém as nossas primeiras impressões sobre o produto:
http://info.abril.com.br/reviews/fotonoticias/na-mao-sony-xperia-z2.shtml?embed=s

À prova d’água?

A Sony afirma que o Z2 é à prova d’água, mas normalmente não cita em quais situações. Então vamos lá: Pode tomar banho com ele? Teoricamente, sim. Pode jogá-lo em um balde com água? Sim. Pode molhá-lo ao lavar as mãos? Sim. Pode entrar com ele no mar? Não. Pode entrar na piscina com ele? É melhor não. A certificação do smartphone é a IP58, que garante a resistência à água em até 1,5m de profundidade por até 30 minutos. A situação mais indicada para comprovar isso é em água parada e com todas as portas de conectores devidamente fechadas.

Mergulhado, o Z2 perde totalmente a sensibilidade ao toque, algo comum em telas capacitivas. Mas há um botão dedicado à câmera, que permite fotografar embaixo d'água. Também é possível gravar vídeos, mas, nesse caso, é melhor entrar na água com a filmagem já ativada.

Quanto à poeira, o gadget também é resistente. Quanto? Digamos que é possível leva-lo para a praia sem que ele volte cheio de areia. Isso é, desde que você não o jogue propositalmente no chão ou fique testando a vedação por conta própria.

SmartBand

Foto por: Divulgação

A pulseira fitness SmartBand acompanha o Xperia Z2 na caixa, mas ela não funciona só com ele nem só com aparelhos da Sony. É possível conectá-la a qualquer dispositivo desde que ele tenha sistema Android 4.4 KitKat e Bluetooth 4.0 (que permite a transmissão de dados emitidos pelo acessório de pulso). No dia a dia, a SmarBand não incomoda e pode até mesmo ajudar você a não perder a hora, uma vez que ela pode ser configurada para vibrar ao mesmo tempo que tocar o alarme no seu smartphone. Sim, a Sony quer que você durma com esse gadget. Isso porque ele é capaz de monitorar os seus ciclos de sono para que você seja acordado no melhor momento de acordo com uma faixa horária pré-definida. Para usar a SmartBand é preciso baixar o Lifelog e o gerenciador de conexão SmartBand.

O acessório contém, essencialmente, um acelerômetro para monitorar seus movimentos. Ele pode identificar quando você está parado, andando ou correndo. A dica é usá-lo no punho esquerdo para evitar que o sensor seja ativado por engano no dia a dia (isso, claro, vale para destros, canhotos podem adotar a prática inversa).

O Lifelog é um aplicativo incrivelmente completo e muito mais granular do que o S-Health, da Samsung. Ele detecta não somente tudo que você faz com a pulseira, mas, sim, tudo que você faz no smartphone. Ou seja, você pode ver quanto tempo passou lendo, navegando na internet, jogando games, dormindo, andando, ouvindo músicas, vendo filmes e ele até mesmo reúne as fotos tiradas pelo usuário durante um determinado dia. Todas essas informações aparecem agregadas em uma linha do tempo interativa que mostra até mesmo nuances das condições do tempo de um determinado horário. É possível visualizar em poucos instantes todas as atividades realizadas em dia, semana, mês ou ano. Assim como nos apps de saúde concorrentes, o gasto calórico é estimado de acordo a altura e peso do usuário (até mesmo em situação de repouso).

TV Digital

A TV digital do aparelho funciona de forma semelhante à do Z1, ou seja, muito bem. É possível gravar vídeos de alguma emissora e acessar a programação dos canais disponíveis (algo que varia de acordo com a sua região). No entanto, o padrão é 1-seg, algo que não tira proveito da tela de alta resolução do Z2. Já o painel IPS se mostra benéfico nesse ponto, visto que os ângulos de visão são mais amplos.

Uma peculiaridade notável do Z2 é o hardware distinto de controle de áudio, que oferece recursos interessantes, como cancelamento de ruído (desde que utilizado com um fone especial com 5 contatos na P2) e suporte a DAC externo. Esse foco também transparece nos alto-falantes e no Bluetooth, que suporta o codec de áudio aptX da mesma forma que o One. Outra novidade importante é a presença de um alto-falante estéreo frontal como o do HTC One.

Configuração

Esse é o ponto de destaque de qualquer smartphone topo de linha e o Z2 não fica para trás nesse quesito. Ele está à altura dos principais concorrentes do mercado. O dispositivo tem processador Qualcomm Snapdragon 801 de 2,3 Ghz, 3GB de memória RAM, 16GB de armazenamento interno (com mais de 11GB livres para uso), câmera de 20,7MP que filma em 4K, processador gráfico Adreno 330, bateria de 3.200 mAh, suporte a cartão microSD de até 128GB (SDXC), 4G brasileiro e NFC, além de Bluetooth 4.0. Além disso, ele tem barômetro, um sensor que ainda é incomum; Wi-Fi ac; e ANT+ (para aplicações de fitness).

O desempenho do Z2 não é muito superior ao do Z1. No 3DMark, por exemplo, a diferença não passa de 4%, Mas o upgrade de processador trouxe claramente uma novidade: a filmagem em 4K.

Confira abaixo os benchmarks do aparelho.

AnTuTu (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Xperia Z2 32.539
Galaxy S5 35.457
LG G Flex 35.571
Xperia Z1 34.284
Vellamo (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Xperia Z2 1.583
Galaxy S5 1.630
LG G Flex 2.931
Xperia Z1 2.930
3D Mark (em pontos) Barras maiores indicam melhor desempenho
Xperia Z2 18.832
Galaxy S5 18.079
LG G Flex 15.898
Xperia Z1 17.524

Olhando os resultados acima, é perceptível que o Z2 teve uma performance pior do que a do Z1. Isso ocorre devido às alterações de software realizadas pela empresa que acabam reduzindo os pontos de benchmarks. Na prática, a experiência de uso dos aparelhos é bastante similar em termos de desempenho e fluidez em aplicativos pesados.

Sistema e aplicativos

O sistema Android 4.4 KitKat tem pouca personalização da fabricante. Alguns itens favorecem a usabilidade, como um botão que permite fechar todos os apps em execução de uma só vez e a barra de opções da dashboard de aplicativos (acessível com um movimento swype para a direita). Mas a memória interna do smartphone fica prejudicada com a lista enorme de apps pré-instalados. No entanto, isso não é de todo mal, visto que há aplicativos úteis e caros, confira todos eles abaixo:

What’s New - Uma vitrine de aplicativos e mídias de outras lojas, incluindo a Play, Music Unlimited e a PSN.

Sony Select - Um aplicativo de curadoria mais focado nas ofertas da Play.

Notícias SocialLife – Um amalgama de agregador de redes sociais com leitor de RSS.

Video Unlimited – Loja de filmes e programas de TV (disponível para Japão, EUA, Canadá, Austrália e alguns países europeus)

TrackID – Funciona como o SoundHound: busca a identidade de músicas captadas pelo microfone

Smart Connect – Aplicativo de automação que realiza algumas ações configuráveis de acordo com um contexto. Por exemplo, se os fones de ouvido são conectados, o telefone sai do mudo e o aplicativo de música é iniciado. As ações podem variar desde iniciar um aplicativo até postar no Facebook. Também gerencia periféricos como o Smart Band.

Xperia Care – Aplicativo de suporte, com acesso remoto

TrackID TV – Exatamente a mesma coisa que o TackID, mas para programas  de TV (disponível para Japão, EUA, Canadá, Austrália e alguns países europeus)

PlayStation – Integração com o PS4. Controla o console remotamente, exibe ofertas da PSN, administra contatos e achievements

Xperia Lounge – Aplicativo de promoções da Sony na vida real (ingressos para shows, etc). Também oferece algum conteúdo de mídia (filmes, músicas, etc)

Playstation Mobile – Loja de games mobile para o PS Vita e para o Android. Não está disponível no Brasil, mas é possível mentir sobre sua localização para utiliza-la. Não tem muito conteúdo, mas o que existe é basicamente exclusivo.

Pixlr Express – Excelente aplicativo de edição de imagem da Autodesk. Grátis na Play.

File Commander – Aplicativo para visualizar o sistema de arquivos. Grátis na Play.

OfficeSuite 7 – Apenas visualiza arquivos Office. É preciso pagar pela versão Pro para editar e criar documentos. Grátis na Play.

Rascunhar – Aplicativo de desenho. Bem simples, mas com uma interface atraente.

Garmin Navigon – Aplicativo de GPS com mapas off-line. Talvez um dos aplicativos amis genuinamente úteis do grupo. Não há muito o que falar dele, exceto o fato (extremamente significante) que ele é completamente exclusivo e a versão equivalente na Play custa 85,09 reais.

Vale destacar que no aplicativo Xperia Lounge é possível baixar gratuitamente o novo álbum de Michael Jackson, chamado Xscape.

Foto por: Reprodução

Sob uma perspectiva analítica, fica claro que há bastante redundância nos apps pré-instalados. Por que o Xperia Lounge é separado do Sony Select? Qual é a utilidade real do What’s New? Porque existem dois aplicativos para o Playstation? O resultado é que o sistema fica com uma aparência carregada logo de cara e muitos desses aplicativos nem podem ser desinstalados — uma consequência quase inevitável para a Sony, que é uma grande empresa com diversos núcleos separados que parecem querer marcar presença no smartphone mais potente já lançado.

Bateria

A otimização da bateria é uma das principais mudanças em relação ao Z1. No teste de execução contínua de vídeos com Wi-Fi e Bluetooth ativos, o aparelho aguentou 10h20. No mesmo teste, o Z1 atingiu a marcar de 5h43 minutos e com uma bateria de 3.000 mAh. Outra novidade é que a bateria ficou mais fina e mesmo assim pode armazenar mais carga do que na edição anterior do smartphone. Vale notar que a Sony também tem o chamado modo Stamina, que economiza bateria automaticamente quando o aparelho não está em uso, algo bastante interessante para o dia a dia. Essencialmente, mesmo com um uso intenso, dá para sair de casa às 7h e voltas às 17h e ainda ter bateria no celular.

Câmera

Essencialmente, o hardware da câmera não mudou em relação à geração passada — o que está longe de ser um problema. Ele usa um sensor de compacta (1/2,3”) com 20 MP e faz uma variação de oversampling similar à do Lumia 1520.  As fotos são tiradas com 20,7MP (5248 х 3936 pixels) com flash LED e autofoco e a câmera frontal faz capturas de 2.2MP (que grava em Full HD (1080p a 30fps). A câmera principal filma em 4K, algo que ainda poucos aparelhos fazem, como é o caso do LG G3, Samsung Galaxy Note 3 e do S5, para citar alguns exemplos. A gravação ocorre no padrão H264.

As fotos ficam realmente belas quando o recurso de oversampling está ativo. Com isso, as imagens ficam com resolução de 8MP, mas a qualidade visual é bastante acima da média para esse tamanho de fotografia, devido à técnica de combinação dos melhores pontos de luz de uma cena. O ruído também é reduzido, bem como a distorção de fase. A Sony realmente criou um ótimo método de captura de imagens com smartphones e é natural que ele tenha sido levado para a segunda geração da linha Xperia Z.

Há também diversas funções criadas pela Sony no software câmera. São elas:

Sequência de timeshift – Captura 60 quadros consecutivos. Em um menu circular, permite com o gesto de arrastar, navegar por todas imagens;

4K – Habilita a gravação de vídeos com resolução 4K, por padrão, ela ocorre em Full HD;
Efeito de foto – Em tempo real você pode optar por 9 efeitos de imagem: Cor parcial, filtro; nostálgico, harris shutter, lente olho de peixe, miniatura, caleidoscópio, rascunho e vívido;
Varrer panorama – Foto panorâmica horizontal ou vertical;
AR Effect – Efeitos pré-carregados de realidade aumentada. É bem interessante para entreter crianças e mostrar aos amigos; 
Info-Eye – Outro aplicativo de realidade aumentada. Neste caso ele traz informações úteis de pontos turísticos e localizações;
TimeShift em câmera lenta – Grava vídeos com resolução HD (720p) com 120 quadros por segundo.
Social Live – Faz streaming em tempo real para o Facebook (aplicativo Bambuster).

Confira abaixo algumas imagens registradas com o Xperia Z2.

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: INFO

Foto por: Reprodução

[youtube https://www.youtube.com/watch?v=sWobLCVDi98%5D

O vídeo acima foi gravado no modo Timeshift, que registra imagens em câmera lenta com resolução HD (720p) com 120 quadros por segundo.

Vale a pena?

O preço do Xperia Z2 é salgado, mas ainda assim está dentro da média dos smartphones topo de linha concorrentes. E há o bônus dele contar com TV digital e com a pulseira fitness SmartBand. Se você quer um aparelho tela grande e se interessa pela tendência do monitoramento de atividades diárias, movimento conhecido como quantified self, o Xperia Z2 é uma excelente opção, apesar de não contar com a série de sensores do Galaxy S5, que permitem monitorar batimentos cardíacos e desbloquear a tela com a impressão digital, por exemplo.

Ficha técnica

Chipset Qualcomm Snapdragon 801 (MSM8974AC)
CPU (SoC) Krait 400 Quad core 2,3 GHz
GPU (SoC) Adreno 330
RAM 3GB
Armazenamento 16GB + microSD de 128GB
Conexões 4G (LTE-A Cat 4), Wi-Fi ac dual band, GPS com GLONASS, Bluetooth 4.0,
Tela 5,2'' (1920 x 1080)
Câmeras 20,7MP (4K) e 2.2MP (Full HD)
Peso 163g
Dimensões 146.8 x 73.3 x 8.2 mm
Bateria 10h20

Avaliação técnica

Prós Configuração potente, tela Full HD, câmera excelente, TV digital
Contras Aparelho é grande, ergonomia poderia ser melhor
Conclusão Smartphone voltado para o público mais exigente e com preço atraente para quem quer também um acessório para monitoramento de exercícios
Configuração 9.6
Usabilidade 8.4
Design 8.5
Diversão 9.2
Bateria 8.8
Média 9.0
Preço R$ 2.499

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.