Na playlist triste do Spotify o ritmo é de prejuízo milionário

Empresa apresenta o balanço fiscal do trimestre com números complicados; boa notícia para os investidores foi o crescimento de 13% no número de assinantes
Balanço do Spotify: empresa apresentou relatório financeiro do terceiro trimestre de 2022 (Christian Hartmann/Reuters/Reuters)
Balanço do Spotify: empresa apresentou relatório financeiro do terceiro trimestre de 2022 (Christian Hartmann/Reuters/Reuters)
D
Da redação

Publicado em 26/10/2022 às 16:02.

Última atualização em 26/10/2022 às 17:37.

O serviço de streaming Spotify é uma daquelas empresas que, apesar de valerem bilhões, ainda patinam para alcançar lucro. Um sinal dessa dificuldade são os números apresentados no relatório financeiro do terceiro trimestre de 2022, divulgado na terça-feira, 25.

De um lado, positivo para os investidores, a plataforma aumentou seu número de assinantes pagantes e agora possui 195 milhões de assinaturas. Contudo, apesar da marca que representa um crescimento de 13% em relação ao trimestre anterior, a empresa registrou uma margem de lucro de 24,7%, abaixo do esperado.

Esse número corresponde a um prejuízo operacional de 228 milhões e para o qual o Spotify ainda não apresentou uma data para ser revertido.

Na lista do que tem causado as perdas estão o gastos com royalties de gravadoras e artistas independentes e os investimentos em conteúdo original, como podcasts.

Para a empresa, a aposta para sair do atoleiro é o crescimento da plataforma de música como um todo, já que o aumento de usuários, pagantes ou não, tem se mantido em uma constante que já superou a projeção do próprio Spotify hoje são 456 milhões de ouvintes.

Os resultados, como esperado, não agradaram Wall Street. Logo após o anuncio dos números, as ações da empresa fecharam em queda de mais de 6%.