Meta alerta para progresso lento nos esforços de diversidade

Apesar de ter acelerado a política de inclusão de mulheres e minorias sub-representadas, um novo relatório da Meta mostra que a empresa desacelerou contratações no geral e que isso afetará a diversidade na empresa
Funcionários da Meta: a empresa está preocupada de não ter em seus times o mesmo nível de diversidade que a população do EUA possui (Justin Sullivan/Getty Images)
Funcionários da Meta: a empresa está preocupada de não ter em seus times o mesmo nível de diversidade que a população do EUA possui (Justin Sullivan/Getty Images)
B
Bloomberg

Publicado em 20/07/2022 às 13:47.

Última atualização em 20/07/2022 às 15:41.

Após contratar mais mulheres e minorias nos últimos anos, a Meta alertou que seus esforços para cortar custos e renovar produtos podem dificultar novas tentativas de diversificar a força de trabalho.

A empresa, dona do Facebook, Instagram e WhatsApp, divulgou um relatório de progresso geral otimista na terça-feira, 19, mostrando que aumentou a diversidade de sua força de trabalho nos EUA no ano passado. Isso incluiu colocar mais mulheres e minorias sub-representadas em cargos de liderança e técnicos. Há um ano, a Meta informou que o número de mulheres na empresa havia diminuído ligeiramente.

Em alguns casos, a Meta superou as metas de cinco anos que havia estabelecido apenas três anos atrás. Em 2019, a empresa se propôs a dobrar o número de mulheres globalmente até 2024. Também procurou dobrar o número de funcionários negros e hispânicos nos EUA no mesmo período. Ela fez ambos antes do previsto.

Mas com a empresa no meio de uma reformulação, os planos de contratação futura são menos claros. É por isso que a Meta não emitirá novas metas de diversidade por enquanto, disse a diretora de diversidade Maxine Williams. A empresa desacelerou as contratações - inclusive para alguns cargos de nível sênior - e está reformulando seus planos de produtos. Ambos desempenham um papel na definição das metas de diversidade da empresa, disse Williams.

“O desafio é manter” esses números, em vez de atingir novas metas, disse Williams.

Mesmo com o avanço recente, a Meta ainda está longe de corresponder à diversidade da população mais ampla dos EUA. Os negros representam 4,9% da força de trabalho da Meta nos EUA, contra cerca de 13% da população americana. Os hispânicos representam 6,7% da base de funcionários da empresa no país, contra aproximadamente 18% da população.

As funcionárias mulheres, por sua vez, representam 37,1% da força de trabalho global da Meta e 36,7% da liderança da empresa. Esses números eram de 36,7% e 35,5%, respectivamente, há um ano.

Os asiáticos são o grupo étnico mais representado na força de trabalho da Meta nos EUA, respondendo por quase 47%. Os brancos representavam pouco menos de 38%, cerca de metade de sua proporção na população.

No passado, Williams tinha um orçamento quase ilimitado e era fácil conseguir funcionários para perseguir metas, disse ela. Agora a empresa - e suas equipes focadas na diversidade - estão tentando ser mais enxutas e focadas, acrescentou.

Veja também:

Musk vs. Twitter: batalha judicial já começou

Amazon refaz o design do app Prime Video; novo visual lembra o da rival Netflix