Tecnologia
Acompanhe:

Internautas iranianos recuperam acesso a e-mail e sites

Governo tinha bloqueado o acesso a sites como Google, Hotmail e Yahoo!

O acessos aos sites ficaram bloqueados por três dias  (Divulgação)

O acessos aos sites ficaram bloqueados por três dias (Divulgação)

D
Da Redação

Publicado em 13 de fevereiro de 2012, 15h50.

Teerã - Os internautas do Irã recuperaram nesta segunda-feira o acesso aos serviços de e-mail gratuitos de provedores estrangeiros, como Google, Hotmail e Yahoo!, assim como a outros sites relacionados, segundo foi constatado pela Agência Efe.

Desde 9 de fevereiro essas páginas estavam bloqueadas no Irã, onde segundo a imprensa local cerca de 30 milhões de usuários ficaram mais de três dias afetados pelo corte.

O bloqueio ocorreu enquanto era celebrado o 33º aniversário da Revolução Islâmica, liderada pelo aiatolá Ruhollah Khomeini, que derrubou o xá de Pérsia, Mohamad Reza Pahlevi, e que é comemorada em 11 de fevereiro.

Um grande número de sites estão bloqueados pelas autoridades iranianas, entre eles os de muitos meios de comunicação estrangeiros e também os de grupos sociais e políticos, tanto iranianos como de outros países, considerados hostis pelo governo de Teerã.

Além disso, também há inúmeras páginas que foram bloqueadas pelas autoridades, que consideram que atacam a moral da República Islâmica, enquanto muitas outras estão sem acesso porque utilizam palavras que os censores iranianos consideram perigosas.

As redes sociais, especialmente o Facebook, e inclusive as versões do Google que não são em inglês também estão bloqueadas, assim como os blogs, independentemente de sua origem e temática.

Em dezembro, as autoridades do Irã bloquearam um site denominado 'embaixada virtual' dos Estados Unidos em Teerã menos de 24 horas depois de ter sido posta na rede pelo Departamento de Estado americano.