• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Intel planeja retomada com novas fábricas de chips na Europa

As negociações incluem países como França e Itália e uma grande fábrica na Alemanha
Para a Europa, a iniciativa poderia reverter o declínio do continente como base de fabricação de chips (Getty Images/David Becker / Colaborador)
Para a Europa, a iniciativa poderia reverter o declínio do continente como base de fabricação de chips (Getty Images/David Becker / Colaborador)
Por BloombergPublicado em 23/12/2021 15:18 | Última atualização em 29/12/2021 10:48Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A iniciativa global de aumento de capacidade da Intel incluirá novas instalações na França e Itália e uma grande fábrica na Alemanha, de acordo com pessoas a par das negociações.

A França terá um centro de pesquisa e design e a Itália terá uma planta dedicada a teste e montagem, segundo as fontes, que pediram anonimato porque o plano ainda não foi anunciado. A fábrica principal provavelmente será construída na Alemanha. Essa expansão custará dezenas de bilhões de dólares.

O CEO Pat Gelsinger vem tentando recuperar o prestígio da maior fabricante mundial de semicondutores. A empresa perdeu sua vantagem tecnológica para a concorrência e cedeu participação de mercado. O enorme investimento visa reverter esse quadro. Gelsinger também pretende trazer mais capacidade de produção de volta para os EUA e Europa e diminuir o domínio da Ásia.

  • Não perca as últimas tendências do mercado de tecnologia. Assine a EXAME.

Representantes dos governos da França, Alemanha e Itália e porta-vozes da Intel nos EUA e Europa se recusaram a comentar.

Para a Europa, a iniciativa poderia reverter o declínio do continente como base de fabricação de chips, uma indústria que movimenta US$ 400 bilhões. A empresa americana tem uma fábrica na Irlanda e existem fábricas de microprocessadores que pertenciam à Advanced Micro Devices em Dresden, na Alemanha, e passaram para a Globalfoundries. No entanto, as plantas europeias geralmente não fabricam os semicondutores de lógica avançada que são o que há de mais moderno no segmento.

NXP Semiconductors e STMicroelectronics são as duas maiores fabricantes de chips do continente. Ambas se concentram em autopeças ou componentes para outros equipamentos, enquanto a Intel é especializada em chips avançados para computadores.

A escassez global de semicondutores renovou as preocupações em relação à concentração da produção na Ásia. A Taiwan Semiconductor Manufacturing e a sul-coreana Samsung Electronics fizeram grande progresso na produção de chips, forçando a Intel a correr atrás. Gelsinger argumenta que distribuir a capacidade de produção pelo mundo contribuiria para evitar os gargalos de abastecimento que têm prejudicado setores inteiros este ano, como o automotivo.

Para ajudar a bancar suas ambições, o executivo pediu dinheiro público na forma de incentivos fiscais e subsídios para fabricantes de chips dispostas a construir fábricas nos EUA e Europa.