Defesa e Telebrás poderão explorar satélite brasileiro

A medida vale para o satélite de defesa e comunicações estratégicas que o governo brasileiro pretende construir e lançar até 2016

Brasília - A Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel) aprovou nesta quinta-feira, 14, as outorgas de direito de exploração de satélite brasileiro e uso de radiofrequências associadas para a Telebras e para o Ministério da Defesa.

A medida vale para o satélite de defesa e comunicações estratégicas que o governo brasileiro pretende construir e lançar até 2016. A Telebras já montou uma joint-venture com a Embraer - chamada Visiona - para contratar a construção do equipamento, cujo custo é estimado em cerca de R$ 1 bilhão.

O satélite brasileiro deve operar em duas frequências. A banda X será utilizada pelo Ministério da Defesa para fins militares e civis das Forças Armadas, enquanto a banda Ka será utilizada pela Telebras para a interligação das redes de governo e para o aumento de capacidade do Plano Nacional de Banda Larga (PNBL).

Cada outorga custará R$ 3,945 milhões, mas o Ministério da Defesa tem um desconto de 90% por ser um órgão da administração federal e pagará somente R$ 394 mil.

Os direitos de exploração têm prazo de 15 anos. O lançamento do satélite geoestacionário nacional tem sido citado pelas autoridades brasileiras como umas das ações que tornará as redes do governo menos suscetíveis à espionagem internacional.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também