Tecnologia

Como usuários e muitos dados ajudaram na reforma do Moovit

Nova versão do app de mobilidade urbana Moovit chega hoje após um grande redesenhos que contou com análise de dados e feedback de usuários

Tecnologia no transporte: nova versão do Moovit foi criada com feedback de usuários e análise de dados

Tecnologia no transporte: nova versão do Moovit foi criada com feedback de usuários e análise de dados

Victor Caputo

Victor Caputo

Publicado em 5 de outubro de 2016 às 12h00.

São Paulo – Usuários do app de mobilidade urbana Moovit irão perceber, a partir de hoje, um novo visual. Ele é produto de um trabalho que envolveu profunda análise de dados e muita conversa entre a desenvolvedora e alguns dos 45 milhões de usuários do aplicativo ao redor do mundo.

A mudança principal é na organização das abas do Moovit. Elas refletem as aflições e necessidades dos usuários, contou a EXAME.com Yovav Meydad, vice-presidente de produto e marketing da Moovit. De acordo com pesquisas internas, são três os perfis de uso do aplicativo, que trabalha com 1.200 cidades.

O primeiro é quando o usuário precisa ir a um lugar que não sabe onde fica. O segundo é a necessidade de obter informações sobre uma linha de transporte—essa linha pode ser de ônibus, trem, metrô, ou outro modo de transporte. O último perfil é de saber o que existe ao redor.

Foi exatamente sobre essas questões que o Moovit centrou seu redesenho. O conteúdo agora fica organizado em novas abas. Essa mudança, convenhamos, era bastante necessária. A organização anterior não era das melhores, com abas com funções pouco claras. “A nova versão traz um ar mais sofisticado e moderno”, resume Meydad. De acordo com ele, a motivação principal para a nova versão era simplificar o uso para os usuários.

Ele conta que a empresa nunca confiou tanto no feedback dado por usuários quanto confiou enquanto desenvolvia a nova versão. A empresa criou quatro modelos diferentes, que foram disponibilizados para 5% dos usuários. A escolha do design final foi baseada também na análise de dados sobre o uso do app.

“As pessoas pararam de confiar na memória para chegar a outros lugares. Hoje, as cidades se sentem mais abertas a compartilhar seus dados conosco. Tudo isso está mudando a vida das pessoas. Está economizando tempo”, falou Meydad sobre o impacto da tecnologia na vida de cidadãos. Somente no Brasil, são 13 milhões de usuários em 100 cidades diferentes.

(EXAME.com)

O app

Na nova versão do aplicativo, usuários verão o conteúdo em três abas: direções, estações e linhas. A primeira é uma solução para encontrar a forma mais simples para ir de um ponto ao outro. Estações mostra o mapa com as opções de transporte público por perto (pontos de ônibus, estações de trem ou metrô, etc).

Por último, a aba linhas traz informações específicas sobre as linhas de transporte. É possível ver, por exemplo, todas as estações de uma linha de metrô e obter dados sobre o funcionamento dela.

A nova versão do Moovit ainda conta com recursos como alertas de chegada, localização de entradas e saídas de espaços públicos, horários, entre outros. O app é grátis e está disponível para AndroidiPhone/iPad e web. A nova versão começa a ser disponibilizada hoje.

Acompanhe tudo sobre:AppsCidadesDesignIndústria eletroeletrônicaSmartphones

Mais de Tecnologia

União Europeia prepara novas acusações antitruste contra Microsoft

Apple pode ter primeira greve de sua história com funcionários do varejo

Professores gerados por inteligência artificial dão aulas em universidade de Hong Kong

Executiva da Baidu faz publicação polêmica no TikTok e pede demissão logo depois

Mais na Exame