Chinesa Oppo lança novo chip e óculos de realidade assistida

O anúncio faz parte do Oppo Inno Day 2021, evento que marca o lançamento de aparelhos e conceitos de última geração da companhia
O novo aparelho da Oppo lembra bastante o Google Glass, projeto de óculos inteligente da década passada que não chegou a ter a comercialização popularizada (Oppo/Reprodução)
O novo aparelho da Oppo lembra bastante o Google Glass, projeto de óculos inteligente da década passada que não chegou a ter a comercialização popularizada (Oppo/Reprodução)
A
André Lopes

Publicado em 14/12/2021 às 15:44.

Última atualização em 14/12/2021 às 15:52.

Antes de mergulhar completamente nos ambientes virtuais do metaverso, as empresas de tecnologia parecem estar de olho nas tecnologias que misturam um pouco dos dois mundo. Neste entoada, a fabricante chinesa de smartphones Oppo apresentou nesta terça-feira, 14, o Air Glass, um dispositivo vestível chamado de "dispositivo de Realidade assistida (aR)".

Aprenda as técnicas de inovação utilizadas pelas maiores e mais lucrativas startups. Comece agora!

O aparelho se parece com um monóculo, de ares mais tecnológicos, que pode ser acoplado em uma das lentes de óculos comuns, sendo capaz de reproduzir conteúdos na tela. Na demonstração, foram exibidas as previsão do tempo, rotas de navegação, calendário e outros dados vindos do pareamento com celulares ou relógios.

A fabricante chinesa também apresentou nesta terça-feira um chip focado em aprimoramento de imagens para fotos e vídeos feitos por smartphones. Chamado MariSilicon X, é uma unidade de processamento neural (NPU) e será fabricado usando a tecnologia de processo de 6 nanômetros da TSMC . O produto será instalado na próxima série de smartphones Find X da empresa, prevista para chegar ao mercado no início de 2022.

A Oppo é uma das principais marcas de telefones celulares da China, ocupando 21% do mercado doméstico no terceiro trimestre, de acordo com a empresa de pesquisas Canalys. A empresa é controlada pela BBK Electronics, que também é dona da Vivo, outra importante marca chinesa de smartphones.

As duas empresas competem por clientes, mas têm uma cadeia de suprimentos sobreposta e estão investindo pesado no setor de chips. Além do MariSilicon X, a Oppo também desenvolveu um chip de gerenciamento de energia instalado em alguns de seus carregadores.

Em setembro, a Vivo anunciou que havia desenvolvido um chip processador de sinal de imagem (ISP) que vai utilizar em seus telefones.

As sanções dos Estados Unidos contra a chinesa Huawei, impediram a empresa de terceirizar os principais componentes de seus produtos. As medidas paralisaram a divisão de smartphones da empresa, bem como a unidade interna de chips HiSilicon, que já foi a única fabricante chinesa a desenvolver processadores para smartphones que poderiam rivalizar com os da Qualcomm.

(Com Reuters)