Apple é alvo de hackers que pedem US$ 50 mi para devolver dados da empresa

Informações de produtos da empresa foram vazados em ataque a fábrica de dispositivos em Taiwan
Apple: grupo conseguiu acesso a informações da empresa e pede resgate de 50 milhões de dólares (Thomas Trutschel/Photothek/Getty Images)
Apple: grupo conseguiu acesso a informações da empresa e pede resgate de 50 milhões de dólares (Thomas Trutschel/Photothek/Getty Images)
T
Thiago Lavado

Publicado em 22/04/2021 às 08:44.

Última atualização em 23/04/2021 às 09:52.

A Apple teria sido alvo de um ataque de um grupo de criminosos especializados em vírus de resgate, ou ransomware, pouco antes do evento que realizou na última terça-feira, apresentando novos aparelhos da empresa. Chamado de REvil, o grupo conseguiu acesso a informações de fabricação da Apple e pede um resgate de 50 milhões de dólares.

Os dados da Apple foram vazados em um ataque contra uma companhia de Taiwan chamada Quanta, que fabrica MacBooks e outros produtos Apple, e que foi o alvo original dos hackers, que tiveram acesso a informações de engenharia e fabricação.

O REvil publicou em um blog na darkweb um texto que relatava o ataque e roubo de informações de fabricação da Quanta, que também presta serviços para Facebook e Alphabet. A Quanta confirmou o vazamento das informações à agência Bloomberg, e afirmou que não iria pagar pelo resgate das informações.

Desde então, o grupo russo pede que a Apple pague a quantia e já vazou na internet informações sobre um novo laptop da empresa. O REvil afirma que a empresa tem até 1° de maio para realizar o pagamento e que vai soltar dados da empresa na internet ou vendê-los até que o pagamento aconteça.

O valor pedido já foi também solicitado a outras fabricantes que foram alvos de ataques do REvil, como a Acer, em março deste ano. Mas o ataque à Quanta faz dele o maior já realizado pelo grupo.