Pop

O BBB 24 foi bom, mas não o suficiente

Mais perto das origens do que nunca, a edição deste ano se destacou com um elenco forte apesar das interferências da produção

Davi cogitando desistir do BBB 24: momento foi criticado por ter tido interferência do Big Boss (Globo / Gshow/Reprodução)

Davi cogitando desistir do BBB 24: momento foi criticado por ter tido interferência do Big Boss (Globo / Gshow/Reprodução)

Publicado em 17 de abril de 2024 às 18h10.

Tudo sobreBBB
Saiba mais

Depois de duas edições mornas, o BBB parece ter voltado ao ritmo. A edição de 2024 teve uma audiência muito maior e mais fiel do que as que anteriores, que deram a vitória para Arthur Aguiar e Amanda Mendes. E isso não foi graças ao programa que apelou nos agrados às marcas patrocinadoras e preencheu boa parte dos episódios com algum tipo de propaganda , mas sim pelos participantes, que estavam dispostos a fazer quase tudo pelo maior prêmio da história do Big Brother Brasil.

A final do BBB 24, que consagrou o motorista de aplicativo Davi como vencedor do prêmio de quase R$ 3 milhões nesta terça-feira, 16, teve média de 27 pontos de audiência na Grande São Paulo; 30 no Rio de Janeiro e 36 em Salvador, cidade natal do campeão. Foi a maior audiência desde a vitória de Juliette, em 2021. O último episódio também conquistou recorde de votação: foram 245 milhões de votos computados, algo nunca antes atingido na história do programa (mas que pode ser devido ao novo estilo de enquetes, que divide entre um voto único por CPF e infinitos votos pelo modo "torcida").

E a comoção não foi apenas virtual: parece que finalmente pudemos lembrar como é o público, na vida real, aficionada pelo seu BBB favorito em uma edição bem sucedida. Em 2020 e 2021, as edições foram quentíssimas justamente pelo isolamento social da pandemia, mas tudo permaneceu nas redes sociais. Já os dois anos seguintes ficaram como num limbo, entre o afrouxamento das medidas sanitárias.

Em Salvador, Davi instaurou um verdadeiro carnaval fora de época. Com trio-elétrico e telão, os familiares e fãs do ganhador celebraram a final ao som de 'Calma Calabreso'. Já em Manaus, Isabelle reuniu as duas alegorias rivais do tradicional Festival Folclórico de Parintins em uma grande festa. Em Alegrete, cidade com pouco mais de 70 mil habitantes no Rio Grande do Sul, a festa foi de Matteus: a organização do evento distribuiu erva-mate para o chimarrão e liberou o sinal de internet para que o público votasse pela vitória do brother. Foram cerca de 5 mil pessoas no local, segundo apuração da Globo.

Relembre momentos marcantes de Davi no jogo

Muita 'publi' em pouco tempo

Comercialmente, o BBB segue sendo, mais do que nunca, a galinha dos ovos de ouro da Globo. Mesmo com as últimas edições não carregando boas reputações nas redes sociais, a emissora manteve um número alto de marcas patrocinadoras. Foram 13 em 2023 contra 20 marcas presentes na edição de 2024, divididas em cotas de patrocínio que podem variar entre R$ 15 milhões a R$ 105 milhões, segundo dados de 2023.

A notícia é ótima para o financeiro da Globo, mas péssima para quem teve que acompanhar os 100 dias do programa ao vivo. O público já estava acostumado com a presença das marcas em todas as dinâmicas de prova, que são as do Líder, Anjo e Bate-Volta; e as ativações dentro da casa que sempre entram para o episódio daquela noite. Também já tinham visto, por exemplo, aquele corte de câmera mais prolongado num pote de margarina durante o café da manhã dos participantes.

Mas, talvez pelo número quase obsceno de marcas presentes, um episódio de BBB 24 às vezes se tornava tão cansativo de acompanhar quanto um programa de televendas. O problema ficou mais evidenciado no começo do programa, que nunca teve tantos participantes antes. Eram 26 pessoas na casa, com ao menos três sendo eliminados por semana, e quem não assistia ao pay-per-view mal tinha dimensão do que estava acontecendo na casa. Isso porque a Globo perdia um bom tempo fazendo propagandas e transformando o programa quase que numa extensão do intervalo comercial, em vez de dar o contexto dos enredos que se formavam na casa.

Veja com quanto cada finalista vai sair do jogo

Elenco marcante

A sorte do público esteve nos participantes que conseguiram se sobressair entre as propagandas e não recuaram do jogo. A ideia de trazer personagens mais populares, assim como nos primórdios do BBB, deu certo. Um exemplo disso é a Beatriz do Brás que, por mais cansativa que fosse com seu "Brasil do Brasil", acabou cativando boa parte do público com seu jeito apaixonado e extrovertido. A vendedora do Brás já fechou parceria com o iFood menos de uma semana após sair do reality, e o comercial com ela apareceu inclusive entre os comerciais da final.

E, claro, o vencedor Davi é um grande exemplo de como o BBB dos "devedores do Serasa" deu certo. Nos cem dias confinado, comprou briga com basicamente a casa inteira e sempre se mostrava coerente em seus posicionamentos perante o público. O que foi interpretado por alguns como grosseria, para muitos era a força de um homem intenso e sem papas na língua.

De um jeito ou de outro, o baiano mostrou que tinha garra para competir pelo prêmio de quase três milhões de reais mais do que ninguém. Mas vale ressaltar que as interferências da produção também acabaram afetando a experiência do espectador: quem acompanha BBB de verdade sabe, por exemplo, que Davi só não desistiu do programa porque teve uma conversa exclusiva com o Big Boss no confessionário. E que ele também foi impedido de jogar um balde de água em Leidy Elin. E que conseguiu eliminar Wanessa por uma batida no pé, enquanto quase deu cabeçadas em MC Binn durante uma briga.

Quanto rende o prêmio do BBB 24?

Os novos influencers da Globo

Para além dos dois queridinhos do público, participantes do quarto Gnomo se destacaram cada um de sua forma. MC Binn foi conhecido como fofoqueiro, esteve em embates com Davi, Isabelle e Michel e envolvido nos principais enredos do programa.

Fernanda e Pitel ficaram marcadas por uma visão única do jogo — e comentários ácidos. Elas agiam como se não estivessem sendo filmadas, algo tão comum ao programa dos anos 2000, quando não havia qualquer que fosse a montação ou coaching para entrar dentro do BBB. Isso garantiu às duas um público fiel — e quem sabe até uma chance de se dar bem na Globo.

O sucesso dos participantes é definitivamente outra conquista para a Globo, que não conseguiu fisgar uma personalidade de destaque da edição de 2023. Tanto que, entre os finalistas, não teve nenhum participante do Camarote. Agora, a emissora deve aproveitar as oportunidades comerciais que podem surgir com Fernanda e Giovanna Pitel; Alane e Beatriz; Davi, Isabelle, Matteus e até os camarotes MC Binn e Yasmin Brunet.

A próxima edição também terá uma grande mudança: a inscrição para o BBB 25 é em dupla. Namorados, melhores amigos ou familiares podem tentar participar da próxima edição do reality, que ainda não ofereceu maiores detalhes. O recado final que o BBB 24 deixou para os brothers virão é que jogar, se posicionar e mostrar uma persona real ainda são peças fundamentais para conquistar o público que acompanha o BBB.

Quem sabe, para 2025 em diante, fique cada vez menos comum o preparo que alguns participantes fizeram nas últimas edições, que incluíam desde aula de "como não ser um homem tóxico" até cirurgias plásticas. Seja Davi ou Fernanda, Beatriz ou Pitel, MC Binn ou Leidy Elin, o programa mostrou que o que volta a importar é a vontade de jogar e a transparência para viver algo real dentro da casa. Vilão ou mocinho durante os 100 dias, todos saíram para o mundo real com muita coisa boa para colher – e que não pode mais ser definida por voto popular.

Inscrição do BBB 25 será em duplas; veja datas, formato e como concorrer

Acompanhe tudo sobre:Big Brother Brasil

Mais de Pop

C6 Fest: confira a programação deste domingo, 19

Virada Cultural: confira a programação completa deste domingo, 19

Rock in Rio 2024: faltando cinco dias para as vendas gerais, line-up completo é divulgado; veja

C6 Fest: confira a programação deste sábado, 18

Mais na Exame