Mistério cerca morte de influencer que viajava pelos EUA; FBI investiga

Além de Gabby Petito, outro caso de desaparecimento intriga o país: geólogo sumiu no Arizona há quase três meses
 (Instagram/Reprodução)
(Instagram/Reprodução)
Por Da RedaçãoPublicado em 22/09/2021 16:08 | Última atualização em 22/09/2021 16:08Tempo de Leitura: 4 min de leitura

A jovem americana Gabby Petito, de 22 anos, que compartilhava nas redes sociais sua travessia pelo Oeste dos Estados Unidos, desapareceu misteriosamente durante uma viagem com o namorado, caso que chocou os EUA na última semana. Segundo informações reveladas pelo FBI nesta terça-feira, Gabby foi vítima de homicídio.

Ela largou seu emprego e colocou sua vida em uma van para viajar pelas estradas dos EUA com seu namorado de 23 anos, Brian Laundrie. A jornada, que começou em julho, era documentada em publicações diárias no Instagram. Porém, mais de duas semanas atrás, Laundrie voltou para casa sozinho em North Port, Flórida, na van de Petito, e a família da jovem registrou uma queixa de desaparecimento. Laundrie, que foi declarado "pessoa de interesse" no caso, negou-se a cooperar com a polícia antes de desaparecer.

Parque Nacional Grand Teton, Wyoming (EUA). (AaronP/Bauer-Griffin/Getty Images)

A polícia federal americana esclareceu que "a causa da morte continua pendente dos resultados finais da necropsia".

Os pais da jovem se comunicaram pela última vez com ela quando o casal, que viajava em um 'motor home', estava na região do Parque Nacional de Grand Teton, no Wyoming, ao sul de Yellowstone.

A busca do jovem pela polícia, que ocorre em uma reserva pantanosa da Flórida, se complica pela presença de serpentes e jacarés, segundo informações da polícia de North Port, a cargo da investigação com o FBI.

Discussões

Em agosto, a polícia de Utah atendeu uma denúncia de violência doméstica envolvendo Petito e Laundrie. Imagens da câmera policial divulgadas pela mídia mostram Petito, angustiada, dizendo que havia brigado com Laundrie.

Ao falar com um policial depois que sua casa sobre rodas foi parada, Petito foi vista chorando e dizendo que tinha problemas de saúde mental. Petito contou que havia dado um tapa em Laundrie após uma discussão, mas acrescentou que não queria machucá-lo.

"Discutimos esta manhã algumas questões pessoais", disse ela. "Antes ele não me deixava entrar no carro... Me disse que eu tinha que me acalmar."

Imagem de câmera policial mostra Gabrielle Petito falando com a polícia após uma discussão com o namorado em Moab City, Utah, em agosto. (AFP/AFP)

Laundrie relatou à polícia que Petito tentou levar as chaves do veículo e que a empurrou antes que ela batesse nele com o celular. O policial decidiu que nenhuma acusação seria feita, mas ordenou que o casal passasse uma noite separado para se acalmar.

A última vez que Petito entrou em contato com seus pais foi no final de agosto, quando o casal estava na área do Parque Nacional de Grand Teton, em Wyoming, de acordo com a família.

A mãe e o padrasto de Petito "imploram a Brian que se apresente e pelo menos diga se estamos procurando na área certa".

Brian Laundrie e Gabrielle 'Gabby' Petito: casal decidiu sair de casa em julho deste ano para fazer uma travessia pelos Estados Unidos em uma van. (Instagram/Reprodução)

Outro sumiço misterioso

Após a divulgação das novas informações sobre o desaparecimento de Gabby Petito, alguns internautas relembraram o caso de Daniel Robinson, 24 anos, geólogo que desapareceu no deserto nos arredores de Buckeye, região desértica do Arizona, há pouco mais de dois meses.

Robinson foi visto pela última vez na manhã de 23 de junho dirigindo perto de Sun Valley Parkway e Cactus Road em seu Jeep Renegade 2017 azul. Segundo as autoridades, ele não disse a ninguém para onde estava indo ou por que estava saindo.

Daniel Robinson: geólogo está desaparecido há três meses. (Famíliares de Robinson/Divulgação)

A polícia conduziu buscas aéreas e terrestres, retirou registros telefônicos e verificou os hospitais em busca de Robinson, mas sem sucesso. Ele foi colocado no banco de dados nacional de pessoas desaparecidas logo em seguida.

Um fazendeiro da região encontrou o jipe ​​de Robinson gravemente danificado no dia 19 de julho, a cerca de seis quilômetros do local de trabalho em que Robinson foi visto pela última vez.

O jipe ​​de Robinson foi encontrado capotado, com os airbags do veículo acionados e evidências de que Robinson estava usando cinto de segurança no momento do acidente. Suas roupas, celular, carteira e chaves foram encontradas no local.

Dado o estado do veículo de Robinson, não há suspeita de crime, razão pela qual seu caso não é uma investigação criminal, segundo a polícia. A polícia também confirmou que um crânio humano que os investigadores encontraram em 31 de julho no deserto próximo ao jipe ​​não pertence a Robinson.

Carro do geólogo Daniel Robinson encontrado no deserto. (Reprodução/Reprodução)

(Com informações da AFP)