Foguete chinês deve cair na Terra neste final de semana; Brasil e outros países podem ser atingidos

Descida deve ser descontrolada; foguete foi utilizado para levar um módulo de laboratório à estação espacial chinesa, que está incompleta
Lançamento do foguete Long March 5B: destroços devem atingir a Terra neste final de semana (VCG/VCG via Getty Images/Getty Images)
Lançamento do foguete Long March 5B: destroços devem atingir a Terra neste final de semana (VCG/VCG via Getty Images/Getty Images)
Carla Aranha
Carla Aranha

Publicado em 30/07/2022 às 15:41.

Última atualização em 30/07/2022 às 18:38.

Detritos de um foguete lançado pela China no último domingo, dia 24, para enviar o módulo da cabine do laboratório da estação espacial chinesa, devem reentrar na atmosfera da Terra neste sábado, dia 30, ou domingo, dia 31. A descida deverá ser descontrolada, segundo a The Aerospace Corporation, ONG da Califórnia dedicada a estudos sobre detritos espaciais. 

O lixo espacial do enorme foguete Long March 5B, de 23 toneladas, devem atingir uma série de países, entre eles o Brasil, Estados Unidos, Índia e Portugal. A Agência Europeia para a Segurança da Aviação (EASA) emitiu um alerta sobre a possibilidade da queda de nove toneladas de detritos em solo europeu. A trajetória do foguete deverá ser conhecida algumas horas antes de sua queda.

"Entre 20% e 40% da sua massa atingirá a Terra, o suficiente para que numerosos fragmentos sobrevivam e chovam na forma de detritos numa área de cerca de 2.000 quilômetros de comprimento por cerca de 70 quilômetros de largura”, alertou a EASA. 

Os detroços não devem provocar estragos significativos, já que devem se pulverizar e queimar ao entrar em contato com a atmosfera.

Em maio, fragmentos de outro foguete Long March 5B atingiram o Oceano Índico. "Está claro que a China está falhando em gerir os detritos espaciais de forma responsável", disse Bill Nelson, gestor da Nasa, a respeito do programa espacial chinês. "É fundamental que a China e todas as nações envolvidas na corrida espacial atuem de forma transparente para garantir a segurança e sustentabilidade a longo prazo das atividades no espaço".

No final do ano, a Terra poderá ser atingida novamente por detritos de um foguete que a China deverá lançar com o intuito de completar a estação espacial, informou o Centro de Astrofísica dos Estados Unidos, operado pela Universidade de Harvard e o Instituto Smithsonian.

Veja também: