• AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
  • AALR3 R$ 20,15 -0.74
  • AAPL34 R$ 67,35 -0.01
  • ABCB4 R$ 16,54 -0.66
  • ABEV3 R$ 14,00 -0.92
  • AERI3 R$ 3,57 -1.11
  • AESB3 R$ 10,86 2.26
  • AGRO3 R$ 30,93 -0.58
  • ALPA4 R$ 21,43 2.88
  • ALSO3 R$ 19,02 0.05
  • ALUP11 R$ 27,10 -0.77
  • AMAR3 R$ 2,52 5.00
  • AMBP3 R$ 31,00 2.31
  • AMER3 R$ 21,89 -4.33
  • AMZO34 R$ 65,21 2.26
  • ANIM3 R$ 5,47 2.05
  • ARZZ3 R$ 79,20 -0.75
  • ASAI3 R$ 15,65 -1.57
  • AZUL4 R$ 20,07 -3.00
  • B3SA3 R$ 11,89 -1.08
  • BBAS3 R$ 37,43 -0.98
Abra sua conta no BTG

Vale dá mais um passo para recuperar título de maior mineradora

A Vale foi autorizada a retomar as operações em uma mina na região norte do Brasil e mira voltar a ser a maior produtora mundial de minério de ferro
 (Divulgação/Agência Vale)
(Divulgação/Agência Vale)
Por Luana Vicentina, da BloombergPublicado em 28/11/2020 15:35 | Última atualização em 28/11/2020 15:35Tempo de Leitura: 2 min de leitura

A Vale foi autorizada a retomar as operações em uma mina na região norte do Brasil, em mais uma etapa para recuperar o título de maior produtora mundial de minério de ferro.

As autoridades da Secretaria de Estado de Meio Ambiente e Sustentabilidade concederam à empresa as licenças necessárias para reiniciar e expandir as atividades em Serra Leste, no estado do Pará, que estão paralisadas desde janeiro de 2019, após atingirem os limites de extração sob licença anterior, disse a empresa em comunicado nesta sexta-feira.

Com a robusta demanda chinesa levando os preços do minério de ferro a níveis máximos em seis anos, a Vale está trabalhando para recuperar a produção perdida após o desastre na barragem de rejeitos de Brumadinho no início do ano passado, que a fez ser ultrapassada pelo Grupo Rio Tinto como o maior produtor do ingrediente siderúrgico. Também no Pará, a Vale está gastando US$ 1,5 bilhão para aumentar a capacidade da mina S11D.

Em Serra Leste, a Vale pretende produzir até 5 milhões de toneladas métricas no próximo ano e retornar à capacidade total em 2022. A modernização da planta permitirá que ela produza até 10 milhões de toneladas por ano a partir do primeiro semestre de 2023. No total, a Vale espera produzir 310 milhões de toneladas este ano antes de voltar à capacidade de 400 milhões de toneladas.

bloomberg_vale_liderança_mineradora

Projeção da produção anual da Vale (em laranja) e de suas principais concorrentes Rio Tinto (branco) e BHP (azul) até 2023 (em milhões de toneladas) (Bloomberg/Bloomberg)