Negócios

Presidente da Petrobras diz que empresa vai seguir preços de mercado

José Mauro Coelho participou de call com analistas na manhã desta sexta-feira

 (Luiz Souza/NurPhoto/Getty Images)

(Luiz Souza/NurPhoto/Getty Images)

AO

Agência O Globo

Publicado em 6 de maio de 2022 às 11h40.

O presidente da Petrobras, José Mauro Coelho, disse que a empresa vai continuar seguindo os preços de mercado como forma de gerar riqueza para a sociedade e evitar o desabastecimento.

O executivo participou da apresentação de resultados financeiros do primeiro trimestre deste ano que foi transmitida pela internet. Ontem, a estatal anunciou lucro líquido de R$ 44,561 bilhões no primeiro trimestre deste ano. O resultado representa uma alta de 3.718,4% em relação ao R$ 1,16 bilhão obtido no mesmo período do ano passado.

- Não é só preço do barril. É gestão responsável que tem sido feita nos últimos anos. Não podemos nos desviar da prática de preços de mercado. É uma condição necessária para a geração de riqueza não só para a empresa, mas para toda a sociedade brasileira, fundamental para a atração de investimentos do país e para garantir o suprimento dos derivados que o Brasil precisa importar - disse ele.

VEJA TAMBÉM

Coelho lembrou ainda que o Brasil hoje é importador de vários derivados como diesel, GLP (gás de botijão), gasolina e querosene de aviação (QAV).

Pouco antes da divulgação do resultado, o presidente Jair Bolsonaro fez duras críticas aos lucros da estatal, menos de um mês depois de ele trocar o comando da empresa.

A companhia informou ainda vai distribuir R$ 48,5 bilhões em dividendos a seus acionistas. Grande parte do valor se refere a antecipação da remuneração aos acionistas relativa ao exercício de 2021, quando teve lucro recorde de R$ 106 bilhões.

Acompanhe tudo sobre:CombustíveisJair BolsonaroPetrobras

Mais de Negócios

10 franquias baratas para quem quer deixar de ser funcionário a partir de R$ 2.850

Mukesh Ambani: quem é o bilionário indiano que vai pagar casamento de R$ 3,2 bilhões para o filho

De vendedor ambulante a empresa de eletrônicos: ele saiu de R$ 90 mil para mais de R$ 1,2 milhão

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Mais na Exame