Mattel tem alta nas vendas com crianças voltando a brincar de Barbie

Vendas brutas da Mattel na América do Norte aumentaram 3% no segundo trimestre, impulsionadas pelo aumento da demanda de Barbies e do jogo Uno

A Mattel anunciou nesta quinta-feira que superou expectativas de vendas trimestrais, com os norte-americanos presos em casa pela pandemia de Covid-19 recorrendo a bonecas Barbie e jogo de cartas Uno para entreter seus filhos.

A fabricante de brinquedos disse esperar que suas vendas melhorem nos próximos meses, em comparação com o primeiro semestre, à medida que crescem preocupações de que as escolas em muitas partes dos Estados Unidos continuem fechadas.

A reabertura de lojas de brinquedos também está ajudando nas vendas, com o presidente Ynon Kreiz dizendo à Reuters que apenas 4% dos pontos de venda, que normalmente representam cerca de 8% das vendas da empresa, estavam fechados no final de junho. Cerca de 30% das lojas da Mattel foram fechadas no final de março.

As vendas brutas da Mattel na América do Norte aumentaram 3% no segundo trimestre, impulsionadas principalmente pelo aumento da demanda pelos vários avatares dos icônicos Barbie e Uno, além de brinquedos de pelúcia “Baby Yoda”.

As vendas brutas totais da Barbie aumentaram 7%, para 199,3 milhões de dólares no trimestre.

No entanto, as vendas líquidas da Mattel caíram quase 15%, para 732,1 milhões de dólares, com as consequências econômicas da crise da saúde que afetaram a demanda nos mercados externos.

Ainda assim, o resultado superou a estimativa média dos analistas de 678,5 milhões de dólares, segundo dados do Refinitiv do IBES.

O prejuízo líquido aumentou para 109,2 milhões de dólares no trimestre, ante perda de 108 milhões de dólares um ano antes. Em uma base ajustada, a prejuízo foi de 0,26 dólar por ação.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.