Negócios

Globo sela fim da “Era Boni” com chegada de Sérgio Valente

Contratação de ex-presidente da DM9DDB é acompanhada pela saída dos últimos remanescentes da geração que praticamente criou a emissora

Valente: missão de renovar a imagem da Globo, marcando a chegada de uma nova geração ao poder (THIAGO BERNARDES)

Valente: missão de renovar a imagem da Globo, marcando a chegada de uma nova geração ao poder (THIAGO BERNARDES)

DR

Da Redação

Publicado em 18 de janeiro de 2013 às 10h23.

São Paulo – A contratação de Sérgio Valente, ex-presidente da agência de publicidade DM9DDB, é vista pelo mercado como mais um passo para renovar a imagem e a direção da TV Globo.

Valente vai dirigir a Central Globo de Comunicação. Segundo a Folha de S.Paulo, sua ida para esse cargo reflete o desejo do diretor-geral da emissora, Carlos Henrique Schroder, de renovar a imagem da Globo junto ao público, bem como estreitar os laços com o mercado publicitário.

A Central Globo de Comunicação é responsável por toda a estratégia de apresentação da emissora ao público, campanhas institucionais e de lançamento dos programas da casa, e campanhas sociais.

Nova geração

Segundo a Folha, com a ascensão de Schroder, chega ao poder na Globo uma geração mais jovem, na casa dos 40 a 50 anos de idade. Com isso, os últimos remanescentes da “Era Boni”, que ajudaram a fundar e a expandir a emissora, deixaram a rede ou se aposentaram.

Um exemplo é Roberto Buzzoni, que estava há 43 anos na Globo e, agora, se aposenta. Com isso, a Central Globo de Programação, que estava sob seu comando, passará a Amauri Soares, de 46 anos. Outro é Durval Honório, com 46 anos de casa, que deixa a Central Globo de Qualidade para Luís Herlanger.

A “Era Boni” é uma referência aos anos em que José Bonifácio de Oliveira Sobrinho, o Boni, ocupou a direção-geral da Globo, entre 1967 e 1997. A geração que assume o comando da emissora, junto com Schroder, é marcada, entre outras iniciativas, pela renovação da linguagem jornalística da emissora e pela aproximação com o público evangélico, que resultou em eventos como o festival musical “Promessas”.

Acompanhe tudo sobre:Agências de publicidadeDM9DDBEmissoras de TVEmpresasEmpresas brasileirasgestao-de-negociosGloboGrupo ABCServiçosSucessão

Mais de Negócios

Como formar líderes orientados ao propósito

Em Nova York, um musical que já faturou R$ 1 bilhão é a chave para retomada da Broadway

Empreendedor produz 2,5 mil garrafas de vinho por ano na cidade

Após crise de R$ 5,7 bi, incorporadora PDG trabalha para restaurar confiança do cliente e do mercado

Mais na Exame