Mundo

Palocci é confirmado na Casa Civil do governo Dilma

Palocci foi convidado pela presidente eleita a assumir a pasta que já foi comandada por ela

Dilma Rousseff e Antonio Palocci: ele assume a pasta que um dia foi dela (Roberto Stuckert Filho/PT)

Dilma Rousseff e Antonio Palocci: ele assume a pasta que um dia foi dela (Roberto Stuckert Filho/PT)

DR

Da Redação

Publicado em 26 de novembro de 2010 às 06h29.

Brasília - O ex-ministro da Fazenda Antonio Palocci será o chefe da Casa Civil do governo de Dilma Rousseff. Coordenador da equipe de transição, Palocci foi convidado pela presidente eleita, na última quarta-feira, a assumir a pasta que já foi comandada por ela. Resistiu um pouco, pois preferia um ministério de menor visibilidade, mas aceitou a tarefa após longa conversa com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

O novo núcleo duro do Palácio do Planalto também abrigará Gilberto Carvalho, chefe de gabinete de Lula, na Secretaria-Geral da Presidência. Carvalho e Luiz Dulci, que ocupa essa cadeira, são os únicos sobreviventes do antigo grupo de conselheiros de Lula, formado em 2003. A exemplo do que ocorre hoje, todos os auxiliares escolhidos por Dilma para a chamada “cozinha” do Planalto são filiados ao PT e próximos a Lula.

Ao assumir a Casa Civil, ministério responsável pela coordenação do governo, o deputado Palocci será reabilitado na cena política. Fiador do rumo econômico no primeiro mandato de Lula, o então comandante da Fazenda foi abatido em março de 2006, no rastro do escândalo da quebra de sigilo bancário do caseiro Francenildo Costa, revelado pelo Estado. No ano passado, porém, foi inocentado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

Dilma havia planejado desidratar totalmente a Casa Civil - alvo de sucessivas crises nos últimos anos -, mas mudou de ideia. Embora mais enxuta e sem projetos vistosos como o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC), que serão transferidos para o Ministério do Planejamento, a Casa Civil continuará forte e seu titular, o capitão do time. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Acompanhe tudo sobre:Governo DilmaPartidos políticosPolíticaPolítica no BrasilPT – Partido dos Trabalhadores

Mais de Mundo

J.D. Vance: candidato a vice gastou R$ 14 mil em churrascaria brasileira em 2023

Como Trump vem ganhando apoio de parte do Vale do Silício

Na China, Visa e MasterCard reduzem taxas de vendedores por pagamentos com cartões internacionais

Macron aceitará renúncia do primeiro-ministro, mas governo seguirá de forma interina

Mais na Exame