Google se recusa a oferecer rede social de Trump em sua loja virtual

O aplicativo viola os regulamentos que proíbem conteúdo que incite ameaças físicas e violência, de acordo com a Google
"A Truth Social nos respondeu que reconhece nosso comentários e disse que está trabalhando para corrigir esses problemas", afirmou o porta-voz do Google. (Kevin Lamarque/Reuters)
"A Truth Social nos respondeu que reconhece nosso comentários e disse que está trabalhando para corrigir esses problemas", afirmou o porta-voz do Google. (Kevin Lamarque/Reuters)
A
AFPPublicado em 31/08/2022 às 19:34.

A rede social Truth Social do ex-presidente dos Estados Unidos Donald Trump não será admitida na loja do Google até que respeite a moderação de conteúdo de suas mensagens, disse o gigante tecnológico nesta quarta-feira, 31.

O Google fez a declaração depois que pessoas próximas a Trump disseram não saber por que o aplicativo ainda não havia sido aprovado na Google Play Store, a loja virtual que vende conteúdo para smartphones com sistema operacional Android.

A empresa notificou a Truth Social em 19 de agosto que o aplicativo viola as políticas da loja e exigia "sistemas eficazes para moderar o conteúdo gerado pelo usuário" para ser oferecido na plataforma, disse um porta-voz do Google.

O aplicativo viola os regulamentos que proíbem conteúdo que incite ameaças físicas e violência, de acordo com a empresa de tecnologia.

"A Truth Social nos respondeu que reconhece nosso comentários e disse que está trabalhando para corrigir esses problemas", afirmou o porta-voz do Google.

A Truth Social pode continuar a oferecer seu aplicativo em seu site ou em outros locais online que não envolvam a loja online do Google.

Trump promoveu a criação da Truth Social para ter sua própria rede social, após ser expulso de plataformas como Twitter e Facebook pelo ataque realizado por seus apoiadores contra o Congresso dos Estados Unidos em 2021.

A rede social de Trump está em dificuldades financeiras. Ela parou de pagar a RightForge, empresa que a hospeda, e deve US$ 1,6 milhão, segundo a Fox Business Network.

O Trump Media and Technology Group disse que recebeu cerca de US$ 15 milhões em financiamento adicional que lhe permitirá pagar suas contas até o final de abril do próximo ano.

LEIA TAMBÉM:

Adeus, China: Apple (APPL34) transfere produção do MacBook e Apple Watch no Vietnã

Facebook é multado em R$ 6,6 milhões pela Senacon por vazar dados de usuários