Adeus, China: Apple (APPL34) transfere produção do MacBook e Apple Watch no Vietnã

A decisão segue a estratégia da Apple de aumentar sua produção fora da China após os lockdowns que interromperam as cadeias de fornecimento
 (Unplash/Reprodução)
(Unplash/Reprodução)
Carlo Cauti
Carlo Cauti

Publicado em 17/08/2022 às 18:09.

Última atualização em 17/08/2022 às 18:40.

A Apple (APPL34) anunciou nesta quarta-feira, 17, que vai transferir a produção do MacBook e do Apple Watch da China para o Vietnã.

A decisão segue a estratégia da Apple de aumentar sua produção fora da China. Nos últimos meses algumas linhas de produção já tinham sido transferidas para a Índia.

Os fornecedores da Apple, Luxshare Precision Industry e Foxconn, já iniciaram a produção experimental do Apple Watch na parte norte do Vietnã.

O país já é o centro de produção mais importante da Apple fora da China e produz uma ampla gama de produtos para a empresa americana, incluindo tablets iPad e fones de ouvido AirPods.

Considerando que o novo Apple Watch é ainda mais sofisticado — que empacotar tantos componentes em um aparelho tão pequeno exige um alto grau de habilidade tecnológica — produzi-lo seria uma benção para o Vietnã, que busca melhorar seu setor industrial e aumentar o grau de sofisticação de suas fábricas.

Mudança da Apple (APPL34) da China para o Vietnã provocada pelos lockdowns

A Apple começou a transferir a produção do iPad para o Vietnã por causa dos repetidos lockdowns na região de Xangai impostos pelo governo chinês para tentar conter o surto de coronavírus (covid-19).

Esses bloqueios causaram graves interrupções na cadeia de fornecimento da fabricante americana, que está precisando produzir mais para atender a uma demanda crescente.

No segundo trimestre a Apple registrou uma disparada das vendas do iPhone e bateu o recorde de receitas.

Além disso, essa diversificação produtiva no Vietnã segue uma tendência iniciada em 2020, quando a Apple tinha transferido sua produção no país após o início da guerra comercial entre China e Estados Unidos, durante o governo do ex-presidente Donald Trump.

A mudança foi um divisor de águas na estratégia da Apple, que por décadas dependeu da China para quase todas as suas necessidades de fabricação.

Dessa vez, muitas empresas chinesas, como a BYD, estariam colaborando nesse movimento de mudança para o Vietnã.

A Apple estaria buscando soluções para que não haja escassez de suprimentos no momento em que começar a produção em massa do iPhone 14. E o Vietnã poderia ter uma boa vantagem com essa diversificação produtiva.