Mundo

Espanhóis prostestam na cidade de Málaga por conta do turismo em masa e valor das moradias

Segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE), a província tem 39.000 casas de uso turístico, o maior número do país

Manifestação contra o turismo de massa e os preços da habitação em Málaga em 29 de junho de 2024 (AFP/AFP)

Manifestação contra o turismo de massa e os preços da habitação em Málaga em 29 de junho de 2024 (AFP/AFP)

AFP
AFP

Agência de notícias

Publicado em 29 de junho de 2024 às 15h48.

Milhares de pessoas protestaram neste sábado, 29, nas cidades andaluzas de Málaga e Cádiz, no protesto mais recente na Espanha contra o turismo de massas, que os manifestantes culpam pela falta de moradia acessível.

Sob o lema “Málaga para viver, não para sobreviver”, o protesto nesta cidade de 570 mil habitantes foi convocado por cinquenta associações locais.

Com faixas que diziam “Proibição de habitação turística”, ou “Salário 1.300, aluguel 1.100, como viver?”, os manifestantes percorreram o centro histórico desta cidade andaluza à beira-mar, onde Picasso nasceu em 1881 em uma casa que constitui uma das suas principais atrações turísticas.

“A cidade tornou-se um parque de atrações”, explicou Quique, um manifestante de 26 anos, à AFP, lamentando que “as casas turísticas tenham substituído de forma irregular as casas habituais”.

Málaga é a província da Espanha com maior número de casas para uso turístico, 39.000, segundo o Instituto Nacional de Estatística (INE). 

A cidade tornou-se muito popular entre turistas e trabalhadores estrangeiros expatriados graças às suas dezenas de praias e a uma oferta cultural que tem Picasso como principal ímã.

A província de Málaga recebeu 8,3 milhões de visitantes em 2022, segundo dados do governo regional andaluz, 56% a mais que no ano anterior, quando ainda vigoravam restrições de viagens no mundo devido à pandemia de covid-19.

 

 

Acompanhe tudo sobre:Espanha

Mais de Mundo

Presidente do Quênia destitui quase todo o governo e procurador-geral

Ruanda diz que não devolverá dinheiro após anulação de pacto migratório com Reino Unido

Maior aeroporto de Milão passa a se chamar oficialmente Malpensa - Silvio Berlusconi

Netanyahu ordena que delegação continue negociações no Cairo sobre cessar-fogo em Gaza

Mais na Exame