Brasil

Miguel Gutierrez, ex-CEO da Americanas, é solto em Madrid, mas não pode retornar ao Brasil

Ele foi preso na sexta-feira, depois de a Polícia Federal deflagrar operação contra fraudes contábeis

Publicado em 29 de junho de 2024 às 16h39.

Última atualização em 29 de junho de 2024 às 16h58.

O ex-CEO das Lojas Americanas, Miguel Gutierrez, está em liberdade desde este sábado, 29. Ele havia sido preso na sexta-feira, 28, em Madrid, Espanha, depois de a Polícia Federal (PF) deflagrar a operação Disclosure no Brasil. 

foi colocado em liberdade neste sábado (29) em Madri, na Espanha. Ele tinha sido preso na sexta (28), após operação deflagrada pela Polícia Federal no Brasil.

Enquanto estiver em liberdade, Miguel Gutierrez terá de cumprir uma série de obrigações com a Justiça espanhola.

  • Comparecer em juízo a cada duas semanas;
  • Entregar o passaporte às autoridades;
  • se comprometer a não deixar a Espanha;

Entenda o caso

Ex-diretores, executivos e presidentes das Americanas foram alvo de uma operação da PF na última quinta-feira. . Eles são investigados por fraudes nos balanços da varejista que somam R$ 25,3 bilhões.

Miguel foi preso pela Interpol, em Madrid, por estar no exterior no momento em que a operação foi deflagrada.

No total, a  PF cumpriu 14 mandados de busca e apreensão nas casas de ex-diretores. Os mandados foram determinados pela Justiça do Rio, que também mandou bloquear bens e valores dos alvos da força-tarefa que somam mais de R$ 500 milhões.

Acompanhe tudo sobre:AmericanasPolícia FederalEspanha

Mais de Brasil

Aeroportos, portos, energia e água: Servidores anunciam greve geral; entenda

'Prioridade é acelerar investimentos e universalizar até 2029': Natália Resende analisa nova Sabesp

União Europeia doa 20 milhões de euros ao Fundo Amazônia

Novo lança candidatura de Carol Sponza à prefeitura do RJ com apelo ao voto feminino

Mais na Exame