Bombardeios iraquianos na Síria mataram 36 jihadistas do EI

Bombardeios realizados na quinta-feira mataram quatro líderes do Estado Islâmico, segundo fontes

 

Bagdá - Os bombardeios realizados por aviões iraquianos na quinta-feira na Síria causaram a morte de 36 membros do grupo terrorista Estado Islâmico (EI), entre eles vários dirigentes, informaram neste domingo fontes oficiais.

O porta-voz do Comando de Operações Conjuntas, Yehia Rasul, afirmou em comunicado que a operação teve "sucesso" e alcançou seus alvos.

Entre os mortos estão quatro líderes do EI que foram identificados como Abu al Islam, Abu Tarak al Hamadani, Abu Mariam al Aqawi e Abu Yasser.

Na quinta-feira, o primeiro-ministro iraquiano, Haidar al Abadi, justificou os ataques no país vizinho pelo "perigo que estes grupos supõem para o território iraquiano".

Os responsáveis militares iraquianos não confirmaram o local do ataque.

A coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, que opera no Iraque e na Síria contra os jihadistas e que deu apoio de inteligência à operação, informou que aconteceu na zona fronteiriça de Hayin.

Em dezembro, Al Abadi anunciou o final da guerra contra o EI no Iraque, mas o grupo jihadista ainda tem células ativas nesse país, além de controlar algumas zonas na Síria.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.