Marketing
Acompanhe:

Nike e Oakley rompem contratos de patrocínio com Pistorius

o atleta paralímpico Oscar Pistorius é acusado de ter assassinado sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp


	Oscar Pistorius durante o julgamento: Pistorius entrou para a história ao se tornar o primeiro campeão paralímpico a disputar provas ao lado de atletas sem deficiência
 (Siphiwe Sibeko/Reuters)

Oscar Pistorius durante o julgamento: Pistorius entrou para a história ao se tornar o primeiro campeão paralímpico a disputar provas ao lado de atletas sem deficiência (Siphiwe Sibeko/Reuters)

D
Da Redação

22 de fevereiro de 2013, 13h05

Washington - A marca de material esportivo Nike e o fabricante de óculos Oakley anunciaram nesta terça-feira que romperam seus vínculos com o atleta paralímpico Oscar Pistorius, que é acusado de ter assassinado sua namorada, a modelo Reeva Steenkamp.

"A Nike não tem planos para Oscar Pistorius em futuras campanhas", confirmou um porta-voz da marca.

Já a Oakley anunciou num comunicado que "suspedia seu contrato dom Pisturius com efeito imediato".

"Os nossos corações estão com as famílias durante estes tempos difíceis e vamos continuar a acompanhar este caso trágico", completou a marca de óculos.

O duplo-amputado de 26 anos Pistorius entrou para a história do atletismo mundial nos Jogos Olímpicos de Londres-2012, ao se tornar o primeiro campeão paralímpico a disputar provas ao lado de atletas sem deficiência.

Enquanto a coragem de Pistorius fazia dele um homem exemplar aos olhos do mundo e garoto-propaganda para muitos patrocinadores, os detalhes que surgiram sobre sua personalidade mostram um homem ansioso e paranóico, sempre com uma arma de fogo em mãos, enquanto vivia em um dos condomínios mais protegidos da África do Sul.