Marketing
Acompanhe:

Marcas que apoiam o fair play no futebol

Após a vitória do Corinthians sobre o Palmeiras, no primeiro clássico brasileiro na arena alvinegra, a torcida visitante quebrou inúmeros assentos

 (EXAME.com)

(EXAME.com)

R
Renato Rogenski

28 de julho de 2014, 14h43

São Paulo - A Copa do Mundo passou, mas não parece ter mudado muita coisa no País futebolisticamente, pelo menos por enquanto.

Ontem, após a vitória do Corinthians sobre o Palmeiras, no primeiro clássico brasileiro na arena alvinegra, a torcida visitante quebrou inúmeros assentos. Quem acompanha o histórico de falta de educação e fair play da torcida, dentro e fora os estádios, já esperava o feito.

Muitos estão discutindo a reformulação do futebol brasileiro no momento, mas ela precisa também passar pela própria cultura e reeducação do público. No cenário atual, o esporte perde a adesão de várias marcas, já que muitas empresas não querem se arriscar a entrar nesse cenário austero. A

Nissan, que rompeu o contrato com o Vasco no final de 2013, depois de uma briga da torcida do clube com os torcedores do Cruzeiro, é exemplo emblemático desse receio.

Mas o que as marcas podem fazer? Além de ações efetivas de apoio a iniciativas que moralizem o futebol, muitas delas balizam a sua própria relação com o esporte através de mensagens de fair play.

Confira algumas ações nesse sentido:

A Coca-Cola resolveu unir rivais históricos por meio de suas vending machine:

//www.youtube.com/embed/bj4V4DcXnOU

Campanha da Football Resistance contra o racismo no futebol:

Jogadores ganham diversas cores em ação da Fox Sports contra o racismo

//www.youtube.com/embed/mF1Ql69OJWs

 

Coca-Cola une nações em campanha da Copa

//www.youtube.com/embed/aMed07FEDEg

Árbitros assistentes levantaram bandeiras brancas no Paulistão:

//www.youtube.com/embed/l-zo-9Icdv4

Fisk prega paz nos estádios:

//www.youtube.com/embed/5Gw-d8g27Ug