A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Barilla muda receita para conquistar consumidor brasileiro

A maior fabricante de massas do mundo decidiu quebrar uma tradição centenária para ganhar espaço na mesa dos brasileiros

São Paulo - Passados 136 anos desde a fundação da italiana Barilla, maior fabricante de massas do mundo, os três irmãos que hoje comandam a empresa decidiram quebrar uma tradição centenária para ganhar espaço na mesa dos brasileiros.

Pela primeira vez, desde que a Barilla era uma pequena casa artesanal de massas em Parma, no norte da Itália, a empresa abriu mão do ingrediente mais marcante em seus produtos para desenvolver uma fórmula que agradasse aos brasileiros.

Reconhecida por ter levado a mais de 100 países a receita do verdadeiro macarrão italiano, a Barilla trocou a farinha de trigo do tipo ‘grano duro’, que deixa a massa al dente, pela farinha de ‘grano tenro’, que faz o macarrão ficar molinho. Parece uma substituição meramente gastronômica, mas não é.

Ao contrário da Itália e de outros países da Europa, em que o consumo da massa do tipo ‘grano duro’ é predominante, no Brasil, ele representa apenas 3% de 1 milhão de toneladas de massas vendidas por ano.

Como essa variedade de trigo não é produzida por aqui, os brasileiros estão habituados a comer a massa de ‘grano tenro’ que, além de ser mais macia, custa menos da metade do preço.

A mudança - inédita para a Barilla no mundo - dá início a uma nova fase da empresa no País, com produto personalizado e fabricado localmente. A nova linha da Barilla, mais popular, chega às prateleiras dos supermercados da região Sudeste nesta semana e vai dividir espaço com a massa tradicional, importada desde a década de 90 para o Brasil.


A receita foi desenvolvida no ano passado, no centro de pesquisas de Parma, com matéria prima levada daqui. Como a fabricante italiana tinha pressa de começar a produção, optou por fazer uma parceria com empresas locais.

As massas serão produzidas na unidade da Vilma, em Minas Gerais, e os molhos, na fábrica da Predilecta, no interior de São Paulo. Ao mesmo tempo, a família Barilla contratou o banco Goldman Sachs para procurar alvos de aquisição no Brasil.

Com a estratégia definida, dois dos três irmãos Barilla - membros da quarta geração da família - vieram conhecer o País que passaria a ser o destino de uma parte considerável dos 150 milhões anuais de investimentos.

Guido, o presidente do conselho, e Paolo, o vice presidente, visitaram fornecedores, redes de supermercado e distribuidores em São Paulo, Santa Catarina e Porto Alegre.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também