Invest

Auxílio Reconstrução: moradores do RS podem se cadastrar no programa até terça-feira

A expectativa do governo federal é atender 375 mil famílias gaúchas, representando R$ 1,9 bilhão em benefícios

Auxílio Reconstrução: até o último sábado, 22, 182 cidades ainda não haviam pedido o benefício (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

Auxílio Reconstrução: até o último sábado, 22, 182 cidades ainda não haviam pedido o benefício (Rafael Henrique/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

Agência Brasil
Agência Brasil

Agência de notícias

Publicado em 24 de junho de 2024 às 14h30.

Tudo sobreRio Grande do Sul
Saiba mais

Termina na terça-feira, 25, o prazo para prefeituras gaúchas cadastrarem famílias residentes em áreas afetadas pelas enchentes. Elas vão receber o Auxílio Reconstrução. Ele é válido para cidades com decreto de estado de calamidade ou de situação de emergência.

Segundo a Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República, 444 municípios do Rio Grande do Sul estão com reconhecimento federal vigente e podem solicitar R$ 5,1 mil para cada família. Até o último sábado, 22, 182 cidades ainda não haviam pedido o benefício.

“As prefeituras devem cadastrar os dados das famílias na página do Auxílio Reconstrução. Após a análise no sistema, o responsável familiar precisa confirmar as informações no mesmo site. Na sequência, a Caixa Econômica Federal realiza o depósito em conta”, informou a Secom.

Números

Dados do governo indicam que 256,7 mil famílias de 115 municípios gaúchos já foram aprovadas para receber o benefício, sendo que 208 mil encaminharam a confirmação dos dados. Entre as que confirmaram as informações, 202 mil já estão com os R$ 5,1 mil em conta, o que totaliza pouco mais de R$ 1 bilhão.

A expectativa do governo federal é atender 375 mil famílias gaúchas, representando R$ 1,9 bilhão em benefícios. O valor destinado ao Auxílio Reconstrução, inicialmente, era de R$ 1,23 bilhão para 240 mil famílias. Na última quarta-feira (19), entretanto, o Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional anunciou crédito extraordinário de R$ 689,6 milhões.

Entenda

O Auxílio Reconstrução foi criado pela Medida Provisória nº 1.219/2024. Por meio do benefício, famílias desalojadas ou desabrigadas do Rio Grande do Sul podem receber R$ 5,1 mil em parcela única para ajudar na recuperação de bens perdidos nas enchentes.

“Não há critério definido para a utilização do recurso: o valor pode ser aplicado onde as vítimas avaliarem melhor”, destacou a Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República.

Como será o pagamento?

Veja abaixo passo a passo do pagamento:

1- As prefeituras cadastram as famílias desabrigadas ou desalojadas e enviam os cadastros para o sistema do Ministério da Integração e do Desenvolvimento Regional (MIDR);

2- O responsável familiar entra no site do Auxílio Reconstrução, realiza o login com a senha do portal Gov.Br e faz a confirmação do cadastro;

3- Os dados são cruzados pela Dataprev, que encaminha à Caixa a folha de pagamentos de forma escalonada, na medida em que as famílias forem sendo cadastradas e confirmadas;

4- A Caixa efetua o crédito em conta para o beneficiário em até dois úteis após o recebimento da folha.

Como os valores podem ser movimentados?

Caso o beneficiário já tenha conta corrente ou poupança na Caixa, ela será utilizada para crédito do benefício. Nesses casos, a movimentação do benefício poderá ser realizada com o cartão da conta ou de forma digital no Internet Banking da Caixa.

Caso o beneficiário não tenha conta na Caixa, será realizada abertura de conta pelo banco no Aplicativo Caixa Tem. Pelo App é possível realizar compras em supermercados, padarias, farmácias e outros estabelecimentos com o cartão de débito virtual e QR Code, por meio das maquininhas de cartão espalhadas por todo o Brasil.

O beneficiário também pode fazer transferências via Pix, além de realizar o pagamento de contas de água, luz, telefone, gás e boletos em geral pelo próprio aplicativo ou nas casas lotéricas.

Utilizando o aplicativo Caixa Tem também é possível fazer saques nas unidades lotéricas, correspondentes Caixa Aqui e terminais de autoatendimento, por meio da geração de token diretamente no aplicativo.

Em decorrência da situação em que se encontra o estado, a recomendação é que o beneficiário só se dirija a uma agência da nas seguintes situações:

  • Beneficiário sem acesso ao aplicativo CAIXA Tem e sem cartão para movimentação.

Para aqueles que estejam impossibilitados de usar os canais digitais, a Caixa informa que tem 283 agências, além das unidades lotéricas, que estão funcionando em todo estado do Rio Grande do Sul. As cidades de Montenegro, Cruzeiro do Sul, Roca Sales, Guaíba e Arroio do Meio contam com atendimento dos Caminhões Caixa.

*com redação EXAME

Acompanhe tudo sobre:Free PaywallRio Grande do Sul

Mais de Invest

Ibovespa está ‘barato demais para ignorar’, diz analista; onde investir?

Quanto rendem R$ 25 milhões na poupança?

O que é herança legítima e como é feita a divisão?

CPI mais fraco nos EUA impulsiona aposta por três cortes de juros ainda neste ano

Mais na Exame