Petz: GIC reduz participação de 5,4% para 4,8%

O fundo soberano de Cingapura reduziu participação na companhia em meio a cenário de inflação e juros em alta
Petz: ações sofrem no ano e já valem consideravelmente menos do que no IPO, realizado em 2020 (damedeeso/Getty Images)
Petz: ações sofrem no ano e já valem consideravelmente menos do que no IPO, realizado em 2020 (damedeeso/Getty Images)
K
Karina Souza

Publicado em 15/06/2022 às 17:00.

Última atualização em 15/06/2022 às 17:01.

O fundo soberano de Cingapura, o  GIC Private Limited, comunicou nesta quarta-feira a redução, realizada ontem, de participação na Petz. Atualmente, a companhia tem aproximadamente 4,87% do capital social (ou 22,4 milhões de ações ordinárias). Antes, a participação do fundo era de cerca de 5,4% na empresa.

A firma reforçou que a decisão se estende apenas à manutenção de uma carteira de negócios diversificada e que não está interessada em alterar a composição de controle da Petz.

As ações da companhia de pet shops têm sofrido ao longo do ano, especialmente com a alta da inflação e juros mais altos, que trazem impactos negativos ao varejo de modo geral. No primeiro trimestre, os efeitos desse cenário apareceram na margem Ebitda ajustada, que caiu 1,1 ponto percentual, para 7%, na comparação anual.

Pouco depois da divulgação dos resultados, o preço do papel chegou a valer R$ 13,24, levemente abaixo dos R$ 13,75 em que a companhia estreou na bolsa em 2020. A derrocada não dá sinais de que deve acabar tão cedo. Em meio ao mau humor da bolsa, nesta quarta-feira, as ações da Petz estão cotadas a R$ 10,61 e a companhia está avaliada em R$ 4,8 bilhões -- abaixo dos R$ 5,1 bilhões em que estreou na B3.