Acompanhe:

Lucro líquido da Cyrela (CYRE3) avança 21,5%, para R$ 289 milhões

Lucro do trimestre ocorreu na comparação com o mesmo período de 2021. Vendas aumentaram 41% em relação ao trimestre anterior

Empreendimento da Cyrela: margem bruta ficou em 33,9% no período, avanço de 2,6 pontos porcentuais em relação ao trimestre anterior (Cyrela/Divulgação)

Empreendimento da Cyrela: margem bruta ficou em 33,9% no período, avanço de 2,6 pontos porcentuais em relação ao trimestre anterior (Cyrela/Divulgação)

M
Marília Almeida

Publicado em 10 de novembro de 2022, 18h41.

Última atualização em 11 de novembro de 2022, 10h36.

A incorporadora Cyrela (CYRE3) lucrou R$ 289 milhões no terceiro trimestre do ano, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira, 10.

O resultado avançou 21,5% em relação ao mesmo período de 2021, e registrou alta de 91,4% em relação ao trimestre anterior.

O resultado foi impactado positivamente por um lucro não-recorrente com vendas de ações da subsidiária do grupo, a incorporadora Cury (CURY3). A venda líquida desses papéis, feita como forma de equacionar o caixa da incorporadora, somou R$ 64 milhões.

Mas mesmo se retirado esse valor, o lucro recorrente continua expressivo, e atinge R$ 225 milhões. No 2º trimestre, a incorporadora lucrou R$ 151 milhões.

Segundo o CFO Miguel Maia Mickelberg, o bom resultado se deve a dois fatores: ao aumento da receita, impulsionada pelo volume forte de lançamentos no período (dois deles, localizados em São Paulo, com margens maiores) e boa performance de vendas, creditada a produtos diferenciados e peso da marca no mercado.

Receita Líquida

A receita líquida da empresa, que atua em diferentes segmentos de renda, foi de R$ 1,6 bilhão, alta de 21,1% em comparação ao terceiro trimestre de 2021 e alta de 24,8% em relação ao trimestre anterior.

Quer começar a investir? Abra sua conta gratuitamente no BTG Pactual

Margem Bruta

A margem bruta da incorporadora ficou em 33,9% no terceiro trimestre do ano, queda de 0,8 ponto porcentual em relação ao terceiro trimestre de 2021 e alta de 2,6 pontos porcentuais em relação ao trimestre anterior.

A melhora da margem no período foi auxiliada pelo arrefecimento da inflação. "Não tivemos estouro de obras no período", apontou o executivo. A tendência, segundo Mickelberg, é que a margem do 4º trimestre seja ligeiramente inferior à observada no 3º trimestre.

Vendas líquidas

As vendas da Cyrela somaram R$ 2,2 bilhões no 3º trimestre, aumento de 67% em relação ao mesmo período de 2021 e alta de 41% em relação ao trimestre anterior.

VGV de lançamentos

A incorporadora registrou Valor Geral de Vendas (VGV) de lançamentos de R$ 2,9 bilhões, alta de 33,1% em relação ao mesmo período do ano passado e aumento de 25,9% em relação ao trimestre anterior. No trimestre, foram lançados 14 projetos, com reajustes de preços pequenos, que seguiram a inflação no período, de 0,1% ao mês.

A expectativa é de que a Copa do Mundo e o final do ano tenham impacto nas vendas, mas a empresa está otimista em relação ao empreendimento Eden. Localizado em São Paulo, tem VGV de R$ 2 bilhões e será lançado para assinatura de contratos nas próximas semanas.

Velocidade de vendas de lançamentos

As Vendas sobre Oferta (VSO) de 12 meses atingiu 44,3%, uma redução em relação ao mesmo período do ano anterior (49,6%), e aumento em relação ao trimestre anterior (43,2%).

Landbank

Ao final do terceiro trimestre o estoque de terrenos da Cyrela (sem considerar o landbank das JVs) somava 6,6 milhões de metros quadrados de área útil comercializável, com potencial de vendas total de R$ 31,4 bilhões.