Live icon 

Acompanhe ao vivo:  

Apuração das eleições 2022 em tempo real! Veja agora.

Pressionado pela inflação, lucro da Cyrela encolhe 43,5% no 2º trimestre

Queda do trimestre ocorreu na comparação com o mesmo período de 2021. Contudo, vendas cresceram 20% em relação ao trimestre anterior
Cyrela: margem bruta da incorporadora diminuiu 5,3 pontos porcentuais em relação ao trimeste anterior, para 31,3% (Evengy Makarov/Bloomberg)
Cyrela: margem bruta da incorporadora diminuiu 5,3 pontos porcentuais em relação ao trimeste anterior, para 31,3% (Evengy Makarov/Bloomberg)
Marília Almeida
Marília Almeida

Publicado em 11/08/2022 às 18:32.

Última atualização em 25/08/2022 às 15:19.

Ante o aumento dos custos da construção, a incorporadora Cyrela (CYRE3) lucrou R$ 151 milhões no segundo trimestre do ano, segundo balanço divulgado nesta quinta-feira, 11.

O resultado encolheu 43,5% em relação ao mesmo período de 2021, e registrou queda de 6,8% em relação ao trimestre anterior.

Receita Líquida

A receita líquida da incorporadora, que atua em diferentes segmentos de renda, inclusive construindo empreendimentos do programa Casa Verde e Amarela, foi de R$ 1,2 bilhão, alta de 5,8% em comparação ao segundo trimestre de 2021 e alta de 1,5% em relação ao trimestre anterior.

Quer começar a investir? Abra sua conta gratuitamente no BTG Pactual

Margem Bruta

A margem bruta da incorporadora ficou em 31,3% no segundo trimestre do ano, queda de 5,3 pontos porcentuais em relação ao segundo trimestre de 2021 e alta de 0,2% em relação ao semestre anterior.

Conforme o CFO da companhia Miguel Maia Mickelberg explicou em call com a imprensa após a divulgação do balanço, a margem se reduziu principalmente por conta de pressões inflacionárias. "Desde o começo de 2020 a inflação da construção (INCC) ultrapassa 30%.  Foi muito difícil passar reajustes de preços para os clientes".

A incorporadora não tem um guidance formal de margem bruta. "Vemos um arrefecimento da inflação, mas os custos de materiais ainda estão em um nível alto".

Vendas líquidas

As vendas da Cyrela somaram R$ 1,6 bilhão no 2º trimestre, aumento de 4% em relação ao mesmo período de 2021 e alta de 23,6% em relação ao trimestre anterior.

VGV de lançamentos

A incorporadora registrou Valor Geral de Vendas (VGV) de lançamentos de R$ 2,3 bilhões, alta de 20,6% em relação ao mesmo período do ano passado e aumento de 124,6% em relação ao trimestre anterior.

No trimestre um dos lançamentos da construtora foi o Casa Ibirapuera, que foi um sucesso de vendas, segundo o CFO. Mas outros empreendimentos colaboraram para o bom resultado: foram 13 lançamentos no período.

A Cyrela reduziu sua atuação no Casa Verde e Amarela por conta da pressão da inflação: no acumulado do ano, o programa representa 25% do seu portfólio de lançamentos. Diante do reajuste das faixas de renda dos participantes do programa, a incorporadora pode voltar a atuar no programa como no passado, mas não acredita que irá mudar seu mix de empreendimentos tão cedo. "É um ciclo que leva de 12 a 18 meses para ser concluído", diz Mickelberg.

Velocidade de vendas de lançamentos

As Vendas sobre Oferta (VSO) de 12 meses atingiu 43,2%, uma redução de 55,4% em relação ao mesmo período do ano anterior, e de 46,1% em relação ao trimestre anterior.

Segundo o CFO da companhia, a redução da velocidade de vendas preocupa, porém está em um nivel saudável. "Conseguimos entregar uma boa rentabilidade neste patamar".

Landbank

Ao final do segundo trimestre o estoque de terrenos da Cyrela (sem considerar o landbank das JVs) somava 6,7 milhões de metros quadrados de área útil comercializável, com potencial de vendas total de R$ 32,9 bilhões.

Resumo do balanço do 2º trimestre da Cyrela

  • Lucro líquido: R$ 151 milhões
  • Receita líquida: R$ 1,2 bilhão
  • Margem bruta: 31,3%
  • Vendas líquidas: R$ 1,6 bilhão
  • VGV de lançamentos: R$ 2,3 bilhões
  • VSO: 32%
  • Landbank: 6,7 milhões de metros quadrados de área útil