Ibovespa sobe com Vale e siderúrgicas em dia de disparada das bolsas em NY

Os mercados têm outro dia de ganhos nos Estados Unidos, onde a tendência é de correção após fortes perdas
 (Germano Lüders/Exame)
(Germano Lüders/Exame)
Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Publicado em 24/06/2022 às 10:25.

Última atualização em 24/06/2022 às 14:02.

Ibovespa hoje: após três pregões consecutivos de queda, o principal índice da bolsa brasileira avança nesta sexta-feira, 24, acompanhando o pregão positivo nas bolsas internacionais. Ainda assim, o Ibovespa caminha para encerrar a semana em baixa – será o quarto resultado semanal consecutivo no vermelho.

No exterior, as bolsas se firmam no positivo, e os principais índices americanos podem registrar sua primeira semana de alta em junho. Os ganhos, ainda que temporários, refletem um movimento de correção após as perdas causadas pelo aumento na taxa de juros na quarta passada. 

  • Dow Jones (Nova York): + 2,08%
  • S&P 500 (Nova York): + 2,33%
  • Nasdaq (Nova York): + 2,34%

A batalha do Federal Reserve (Fed, o banco central americano) contra a inflação acendeu um alerta para investidores do mundo todo, que temem uma recessão na maior economia do mundo. A preocupação afetou principalmente o setor de commodities, que recuou preocupado com a demanda em um cenário de crise.

Nesta sexta, por outro lado, o mercado de commodities acompanha a recuperação das bolsas e também opera em alta, impulsionando as ações com maior peso no Ibovespa, as da Vale (VALE3)

A mineradora sobe na esteira do preço do minério de ferro. Os contratos da commodity na bolsa de Dalian subiram 1% após 10 sessões de queda. Além da Vale, as siderúrgicas também avançam, e ficam entre os maiores destaques positivos do pregão.

O mercado de petróleo também se recupera, com o petróleo Brent avançando mais de 2%. A PetroRio (PRIO3) acompanha os ganhos e lidera as altas do Ibovespa no dia. A Petrobras (PETR3/PETR4), por outro lado, não consegue acompanhar a tendência positiva do setor e opera de lado.

No caso da Petrobras, investidores também aguardam a definição do comitê de elegibilidade (Celeg) sobre o cargo de CEO da estatal. Responsável por analisar os indicados para exercer cargos na Petrobras, o Celeg se reúne nesta tarde para avaliar o nome de Caio Mário Paes de Andrade à presidência após a renúncia de José Mauro Coelho

Após passar pela Celeg, a indicação segue para avaliação do Conselho, que pode votar pela aprovação do secretário como membro do colegiado e presidente da empresa. Se Paes de Andrade for aprovado nos ritos, será o quinto CEO da Petrobras a assumir o cargo na gestão Bolsonaro.

No cenário macroeconômico, houve ainda a divulgação nesta manhã da inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - 15 (IPCA-15). O indicador de junho subiu 0,69%, praticamente em linha com estimativas de 0,67%. Porém, o índice mostrou composição pior do que a esperada com pressão em serviços.

Os juros futuros subiram após a divulgação, tanto pelo resultado como pela pressão fiscal. Nesta sexta, a 100 dias das eleições, o presidente Jair Bolsonaro voltou a defender a elevação do Auxílio Brasil dos atuais R$ 400 mensais para R$ 600 reais por mês.

Destaques de ações

Além das ações ligadas ao minério de ferro e ao petróleo, outro destaque de alta é a exportadora de celulose Suzano (SUZB3). A empresa fica entre as maiores altas do dia após confirmar que irá elevar o preço da celulose na Ásia, Europa e América do Norte em julho. 

Na ponta oposta, as ações da CVC (CVCB3) recuam mais de 9% e são o principal destaque negativo da bolsa no pregão. A queda ocorre após a precificação da oferta secundária de ações da companhia (follow-on) ter saído com preço abaixo do esperado.

A oferta movimentou R$ 402,8 milhões, com cada uma das 52,3 milhões de ações ordinárias, sendo vendidas ao preço de R$ 7,70 por papel. O preço sofreu um desconto de 13,3% em relação à última cotação da ação, de R$ 8,88.