Grupo chinês BYD ultrapassa Tesla (TSLA34) nas vendas globais de carros elétricos

A montadora chinesa sediada em Shenzhen registrou uma alta de mais de 300% nas vendas em relação ao mesmo período do ano anterior
 (VCG/Getty Images)
(VCG/Getty Images)
Carlo Cauti
Carlo CautiPublicado em 05/07/2022 às 08:39.

O grupo automotivo chinês BYD, que tem entre seus principais acionistas a Berkshire Hathaway de Warren Buffett, superou a Tesla (TSLA34) como a maior produtora de veículos elétricos do mundo.

As vendas da BYD nos primeiros seis meses do ano foram de 641 mil veículos elétricos, alta de mais de 300% em relação ao mesmo período do ano anterior. Enquanto as vendas da Tesla foram de 564 mil.

A montadora chinesa sediada em Shenzhen registrou uma alta de mais de 300% nas vendas em relação ao mesmo período do ano anterior. Um sinal claro do crescente domínio da China no setor automotivo.

A Tesla teve um segundo trimestre difícil na cadeia de suprimentos, com uma série de interrupções nas vendas na China depois que suas operações foram atingidas pelos lockdowns impostos pelo governo de Pequim para conter novos surtos do novo coronavírus (Covid-19).

A região de Xangai sofreu um lockdown severo de dois meses para tentar conter a alta da variante ômicron.

Além da Tesla, outros fabricantes chineses de veículos elétricos, com a Li Auto, Xpeng e Nio, foram atingidas pelos lockdowns.

A BYD acabou se beneficiando dessa situação pois a maioria de suas fábricas não está localizada nas regiões e cidades que sofreram as restrições mais severas.

A BYD também ultrapassou a LG da Coréia do Sul como a segunda maior produtora mundial de baterias para veículos elétricos, ficando atrás apenas da também chinesa Contemporary Amperex Technology, conhecida como CATL.

Tipos de carros da BYD

Muitos dos modelos da BYD são veículos híbridos que usam uma bateria grande além de um motor tradicional para viagens mais longas.

Mesmo usando motor a combustão, são considerados carros de “emissão zero” pelas regras vigentes no mercado chinês.

Os números positivos da montadora chinesa acabaram repercutindo na Bolsa de Valores de Xangai, e últimos cinco anos, as ações da montadora chinesa se valorizaram 558,95%.

China cada vez mais na liderança das energias renováveis

A ascensão da BYD ressalta o fortalecimento da China na vanguarda do setor de energia renovável.

O gigante asiático tem vantagens de escala e pode contar com um baixo custo de produção em grande parte da cadeia de fornecimento de veículos elétricos, baterias e energia eólica e solar.

A China já é hoje o maior mercado do mundo de automóveis elétricas.

Mas analistas consideram que essa ascensão da indústria automobilística elétrica da China seja apenas um prelúdio para uma mudança histórica no mercado automotivo global.

Isso pois os fabricantes chineses de veículos elétricos começarão em breve a se concentrar nos mercados externos e a exportar suas produções.

No ano passado, a China exportou mais de meio milhão de veículos elétricos, mais que o dobro do valor do ano anterior.

No entanto, cerca de um terço das exportações da China para a Europa eram de marcas europeias de propriedade chinesa, como Volvo e MG Motor.

Apenas 2% representavam marcas chinesas. Quase metade era da Tesla e os 14% restantes eram de joint ventures europeias na China.