Fed: o que esperar da próxima decisão monetária do banco central americano

Autoridade monetária deve atenuar aperto após alta de 0,75 p.p. nesta semana
Presidente do Federal Reserve, o Fed, Jerome Powell (Brendan Smialowski/Reuters)
Presidente do Federal Reserve, o Fed, Jerome Powell (Brendan Smialowski/Reuters)
B
BloombergPublicado em 24/07/2022 às 08:32.

O presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, deve diminuir o ritmo de aperto monetário após um segundo aumento de juros de 0,75 ponto percentual (p.p.) na reunião desta quarta-feira, 27, de acordo economistas consultados pela Bloomberg.

Eles esperam que o Comitê Federal de Mercado Aberto (FOMC) eleve juros em meio ponto percentual em setembro, depois mude para aumentos de 0,25 ponto percentual nas duas reuniões restantes do ano. Isso elevaria a taxa básica do banco central americano para 3,5% até o final de 2022, o nível mais alto desde o início 2008.

Para a reunião de setembro, a pesquisa é um pouco mais dovish (favorável a juros mais baixos) do que os futuros de juros no mercado, que atualmente precificam mais de 50% de chance de um aumento de 0,75, assumindo um movimento de 0,75 na próxima semana. Mas a trajetória delineada pelos economistas é um pouco mais hawkish do que a que está implícita nos preços de mercado.

Também é mais íngreme do que a trajetória esperado antes da reunião de junho, quando o FOMC previu a taxa básica subindo para 3,4% no final do ano e 3,8% em 2023.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

A alta de 0,75 em junho foi a maior desde 1994. Powell disse que aumentos de 0,5 ou 0,75 ponto percentual estariam na mesa na reunião do Fed de 26 a 27 de julho, embora os comentários de muitos dirigentes tenham se concentrado em um aumento de 0,75.

A pesquisa com 44 economistas realizada de 15 a 20 de julho prevê que o Fed elevará os juros em mais 0,25 ponto percentual no início de 2023, atingindo um pico de 3,75% antes de pausar e depois começar a cortar antes do final do ano.

“O mercado de trabalho ainda forte e os gastos sólidos do consumidor dão margem de manobra para o Fed continuar a aumentar rapidamente a taxa básica de juros”, disse a economista-chefe para EUA da Oxford Economics, Kathy Bostjancic.

Há um consenso esmagador de que o FOMC aumentará os juros em 0,75 ponto percentual este mês, com apenas uma previsão - da equipe de economia dos EUA da Nomura Securities - de um aumento de um ponto percentual.

O governador do Fed Christopher Waller, um dos formuladores de política monetária mais hawkish, endossou um movimento de 0,75, e o presidente do Fed de Atlanta Raphael Bostic avisou que um aumento muito drástico teria efeitos colaterais negativos.

Veja também