Americanas dispara 22% na B3 com Sérgio Rial como CEO

Ex-Santader irá substituir Miguel Gutierrez, na primeira troca do comando da companhia em duas décadas
Americanas: analistas estão otimistas com mudança no comando (Leandro Fonseca/Exame)
Americanas: analistas estão otimistas com mudança no comando (Leandro Fonseca/Exame)
Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Publicado em 22/08/2022 às 11:59.

Última atualização em 22/08/2022 às 18:01.

As ações da Americanas (AMER3) dispararam e lideraram as altas do dia nesta segunda-feira, 22, com a mudança no comando da varejista.

A companhia comunicou na última sexta-feira, 19, após o fechamento do mercado, que o conselho de administração escolheu Sergio Rial como sucessor do atual presidente, Miguel Gutierrez, a partir de 1º de janeiro de 2023. Esta será a primeira troca no comando da varejista em duas décadas.

Rial, que liderou a operação do Santander Brasil (SANB11) de 2016 a 2021, é atualmente membro do conselho do banco e presidente do conselho de administração da Vibra. Rial não tem experiência no varejo, mas isso não parece ser um problema na avaliação de analistas.

“Enquanto reconhecemos que é muito cedo para avaliar quaisquer mudanças potenciais na estratégia e execução da Americanas, somos encorajados pela experiência relevante de Rial em vários cargos de gestão em empresas nos espaços financeiro e de consumo [embora não no varejo especificamente]”, avaliam os analistas do Goldman Sachs em relatório.

A avaliação do Goldman é de que Rial liderou com sucesso o turnaround do Santander Brasil em seu período à frente do banco. “[Rial] melhorou o ROE de 11,8% em 2015 [um ano antes de assumir] para 18,6% em 2020 e chegando a 21,6% em 2019”, informa o relatório.

O executivo também foi CEO da Marfrig (MRFG3) e diretor financeiro (CFO) da processadora americana de alimentos Cargill.

Para o Credit Suisse, a experiência do novo CEO também deve contar positivamente. “Rial tem um histórico comprovado em diferentes indústrias. Permanece o desafio de entregar um forte crescimento, especialmente no segmento online, onde a empresa teve um desempenho inferior ao de seus pares nos últimos anos”, dizem em nota.