Acompanhe:

Dotz sobe até 13,6% em estreia na bolsa, mas fecha estável

Empresa de tecnologia levantou 391 milhões de reais em IPO por meio de oferta restrita; recursos serão destinados à ampliação dos negócios em marketplace, fidelidade e serviços financeiros digitais

Evento de estreia da Dotz na B3 neste dia 31 de maio | Foto: Cauê Diniz/B3/Divulgação (Cauê Diniz/Divulgação)

Evento de estreia da Dotz na B3 neste dia 31 de maio | Foto: Cauê Diniz/B3/Divulgação (Cauê Diniz/Divulgação)

G
Guilherme Guilherme

Publicado em 31 de maio de 2021, 17h59.

Última atualização em 31 de maio de 2021, 19h30.

As ações da Dotz (DOTZ3) fecharam estáveis, cotadas a 13,20 reais, em seu pregão de estreia na B3, nesta segunda-feira, 31 de maio. Nos primeiros minutos de negociação, os papéis da empresa chegaram a ser negociados em alta de 13,6%, a 15 reais. Ao longo da sessão, no entanto, a euforia com a estreante foi diminuindo.

Em oferta pública inicial (IPO, na sigla em inglês) via instrução 476 da Comissão de Valores Mobiliários (CVM), a chamada oferta restrita, as ações foram precificadas a 13,20 reais. Apenas investidores qualificados (ao menos 1 milhão de reais aplicados) e profissionais (10 milhões de reais investidos) puderam participar da oferta.

A operação foi levada adiante apenas após a empresa reiniciar o processo, diante das condições adversas do mercado. Originalmente, a faixa indicativa de preços estava entre 16,20 e 21,40 reais. No novo processo para abrir o capital, a Dotz reduziu o valor da oferta, que saiu no piso da nova faixa, que se estendia de 13,20 a 16,20 reais.

Empresa de tecnologia com três pilares (marketplace, fidelidade e serviços financeiros digitais), a Dotz levantou 390,7 milhões de reais no IPO. Foi uma oferta 100% primária, ou seja, todo o valor arrecadado será destinado a investimentos em sua plataforma digital e na ampliação da participação nas três verticais de negócios. A Dotz também avalia potenciais aquisições.