Ação do Inter (INBR31) pode subir quase 200%, avalia Itaú BBA

Analistas do banco iniciam cobertura do papel após migração para os EUA com recomendação de compra
Entrada do Inter em Belo Horizonte: ações do banco migraram para bolsa americana Nasdaq em junho (Inter/Divulgação)
Entrada do Inter em Belo Horizonte: ações do banco migraram para bolsa americana Nasdaq em junho (Inter/Divulgação)
Beatriz Quesada
Beatriz Quesada

Publicado em 21/07/2022 às 15:48.

Última atualização em 25/07/2022 às 18:12.

As ações do Inter (INTR), recém migradas para os Estados Unidos, ainda podem avançar cerca de 200% na avaliação do Itaú BBA. Os analistas do banco retomaram nesta quinta-feira, 21, a cobertura para os papéis com recomendação de compra e preço alvo de US$ 8. 

O valor representa um potencial de valorização de 190% considerando o último fechamento da ação, de US$ 2,76.  Para o BDR listado no Brasil (INBR31), o BBA estima um valor justo de R$ 44 – o papel encerrou o último pregão negociado a R$ 15, o que implica um upside de 193%.

Quando ainda era negociado na B3, a ação estava entre as mais descontadas do Ibovespa, acompanhando o cenário negativo para papéis de tecnologia em meio às altas dos juros e da inflação. O BBA admite que as tendências macroeconômicas continuam negativas para teses de crescimento, mas defendem que o papel é um bom ativo de longo prazo.

“[Acreditamos que] os esforços do banco para melhorar a receita líquida de juros (NII) e reduzir o risco e os custos de crédito finalmente irão render melhores lucros no quarto trimestre de 2022 e no ano de 2023”, informa o relatório.

Assine a EXAME e fique por dentro das principais notícias que afetam o seu bolso. Tudo por menos de R$ 0,37/dia

Outro obstáculo é a competição no próprio setor bancário brasileiro, que tem estado cada vez mais competitivo. O BBA, no entanto, acredita que o Inter pode sair vencedor nessa disputa.

“O Inter será um dos vencedores nesta corrida, graças a uma marca já consolidada, uma carteira de multisserviços e crédito mais avançada e uma importante base de clientes e depósitos”, afirmaram os analistas.

Os desafios levaram o BBA a reduzir a projeção de rentabilidade sobre o patrimônio (ROE, na sigla em inglês) de longo prazo de 25% para 20%. Ainda assim, o upside para a ação fica perto de 200%.

“Os ganhos de curto prazo não serão ótimos e as tendências macro continuam sem suporte para histórias de crescimento. O Inter, no entanto, está vendo seu valuation claramente descontado para o bom ativo estratégico de longo prazo que é”, dizem.

Veja também