Petróleo afunda com demanda fraca por gasolina nos EUA

O West Texas Intermediário, petróleo de referência americano, caiu até 7,5% para US$ 94,59 o barril
Petróleo: os preços da gasolina nos postos nos EUA estão em queda há 37 dias consecutivos (./Thinkstock)
Petróleo: os preços da gasolina nos postos nos EUA estão em queda há 37 dias consecutivos (./Thinkstock)
B
BloombergPublicado em 21/07/2022 às 10:48.

O petróleo afundou na quinta-feira após sinais de demanda fraca por gasolina nos EUA e o retorno de suprimentos da Líbia.

O West Texas Intermediário, petróleo de referência americano, caiu até 7,5% para US$ 94,59 o barril. Uma recuperação do dólar no mercado de câmbio internacional também torna as commodities menos atraentes. Um relatório do governo americano mostrou que os estoques de gasolina aumentaram mais do que o esperado na semana passada, e a demanda estagnou.

A produção de petróleo na Líbia agora está acima de 700.000 barris por dia, depois que restrições às exportações do país foram retiradas nos últimos dias. A produção deve retornar a 1,2 milhão de barris por dia dentro de sete a 10 dias.

Depois de subir durante a maior parte do primeiro semestre, o preço do petróleo caiu nas últimas semanas com temores de recessão, aumento de juros e um movimento mais amplo de liquidação das commodities. O preço tem oscilado acentuadamente e a volatilidade reina no mercado.

“O preço do petróleo continua instável, com volumes de negociação particularmente baixos”, analistas do Citigroup, incluindo Francesco Martoccia, escreveram em um relatório. “Os dados de mobilidade em todo o mundo, bem como a demanda implícita de alta frequência dos EUA e de outros lugares, ainda mostram um quadro de deterioração.”

Os preços da gasolina nos postos nos EUA estão em queda há 37 dias consecutivos.

O mercado também estava de olho nos eventos na Europa, com a Rússia reiniciando o maior gasoduto para o continente após um período de manutenção de 10 dias. Embora existisse a preocupação de que os fluxos não voltassem, o que afetaria os preços de energia, a operadora do gasoduto Nord Stream disse que Moscou começou a enviar gás.

Na Ásia, a persistência da China em sua estratégia de tentar erradicar a Covid-19 tem diminuído o uso de energia e desacelerou o crescimento. O Banco Asiático de Desenvolvimento cortou sua previsão para o crescimento do PIB na Ásia em desenvolvimento, já que a abordagem de Pequim cria um efeito cascata.