Walmart nega que vai aceitar pagamento com criptomoeda e litecoin despenca

Gigante varejista negou rapidamente que iria aceitar pagamentos com litecoin e preço da criptomoeda, que havia disparado com a notícia, despenca

Durou pouco a alegria dos entusiastas das criptomoedas com a notícia de que o Walmart passaria a aceitar litecoin como método de pagamento para compras na loja virtual da gigante varejista.

Após a publicação da história, que recebeu ampla cobertura de veículos nacionais e internacionais, um porta-voz da empresa afirmou à CNBC que o comunicado de imprensa divulgado no site GlobeNewswire - e já retirado do ar - não era autêntico. A Reuters, que também havia divulgado a parceria, foi outra a publicar um desmentido pouco depois.

O preço da criptomoeda litecoin, que saltou de 175 para mais de 230 dólares nos minutos subsequentes à divulgação da suposta parceria, despencou após a confirmação de que o anúncio era falso - no momento, é cotado a 177 dólares.

O falso documento, que foi divulgado inclusive por este Future of Money, afirmava que a maior rede de varejo dos EUA e 17ª maior empresa do mundo por valor de mercado passaria a aceitar, a partir de 1º de outubro, a criptomoeda litecoin como meio de pagamento em seu comércio eletrônico.

A notícia, claro, movimentou o mercado de criptoativos, já que o Walmart, com 220 milhões de consumidores por semana - somando lojas físicas e eletrônica - poderia impulsionar a adoção e o uso dos ativos digitais.

Apesar da notícia falsa sobre aceitar litecoin como pagamento, a gigante do varejo segue interessada na tecnologia blockchain, com a qual tem desenvolvido soluções há alguns anos, principalmente ligadas ao controle e monitorando da cadeia produtiva de ítens comercializados em suas lojas. Recentemente, o Walmart também anunciou uma vaga de emprego para especialistas em criptomoedas e blockchain.

ATUALIZAÇÃO, 13/9, às 12h15: Uma versão anterior deste texto dizia que o Walmart passaria a aceitar a criptomoeda litecoin como método de pagamento, informação que foi desmentida pela empresa. O texto foi alterado e a informação corrigida.

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também