Criptomoedas batem recorde: bitcoin e ether têm novas máximas históricas

Ether e bitcoin seguem despertando o otimismo no mercado com uma série de novas máximas históricas em seu preço, que atingiu 4.823 e 68.382 dólares, respectivamente
O valor de mercado das criptomedas encontra-se próximo dos 3 trilhões de dólares (Getty Images/znm)
O valor de mercado das criptomedas encontra-se próximo dos 3 trilhões de dólares (Getty Images/znm)
Por CoindeskPublicado em 09/11/2021 11:35 | Última atualização em 09/11/2021 13:48Tempo de Leitura: 4 min de leitura

O bitcoin, a primeira e maior criptomoeda do mundo, ultrapassou a faixa dos 68 mil dólares pela primeira vez em sua história na madrugada desta terça-feira, 9, chegando a atingir 68.382 dólares, o seu maior preço em todos os tempos. O otimismo do mercado impulsionou também outros ativos digitais, como o ether, que registrou diversos recordes de preço nas últimas horas.

No mais recente movimento de alto do setor, que teve início nos primeiros dias de outubro, o mercado cripto inteiro cresceu quase 1 trilhão de dólares em valor de mercado total em apenas um mês. No momento, o valor de mercado de todas as criptomoedas somadas está próximo de 3 trilhões de dólares, de acordo com dados do CoinMarketCap.

Ao mesmo tempo, a Glassnode notou em seu relatório semanal da última segunda-feira, 8, que a quantidade de bitcoin nas corretoras continua a cair - dado que indica baixa propensão de venda do ativo, o que diminuiria a oferta e aumentaria os seus preços -, enquanto a taxa de hash da criptomoeda, uma métrica do poder computacional utilizado para garantir a segurança e a eficiência do blockchain, pode buscar novas máximas históricas antes do final do ano – após ter caído bastante em julho, por conta das medidas repressivas da China contra a mineração de bitcoin no país.

O preço do bitcoin subia para patamares acima dos 68 mil dólares durante a manhã desta terça-feira, 9. O ether, segunda maior criptomoeda por valor de mercado, também atingiu novas máxima histórica em 4.824, de acordo com a CoinDesk.

A alta do ether ocorreu após os relatórios demonstrarem que a rede Ethereum queimou mais ether do que emitiu por pelo menos uma semana, após a atualização “London” ter introduzido um mecanismo para queimar uma grande parte das taxas de transação, medidas em ether, ao invés de enviá-las para os mineradores. Queimar significa que o ether é removido permanentemente de circulação.

Enquanto isso, as preocupações sobre a escalabilidade do blockchain Ethereum e as altas taxas de transação continuam a mover parte da atenção do mercado para os famigerados tokens alternativos à Ethereum, incluindo solana, polkadot, terra e avalanche.

Dados da Kaiko demonstram que a Ethereum está perdendo sua parcela do mercado para outros blockchains de primeira camada bastante populares desde o início do ano, considerando que o volume de transação na Binance, maior corretora de criptomoedas do mundo, caiu de 76% para 42% no início do ano, com o volume perdido movendo-se para outros tokens de primeira camada.

(Kaiko/Reprodução)

“O recente frenesi com os tokens não-fungíveis gerou novamente o aumento das taxas de transação no blockchain Ethereum, fazendo com que redes alternativas que resolvem o problema de escalabilidade se tornassem mais atrativas”, escreveu a Kaiko em sua newsletter de 8 de novembro.

Texto traduzido por Mariana Maria Silva e republicado com autorização da Coindesk

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube