Future of Money

Corretora cria fundo de R$ 11 bi para investir em startups de criptomoedas

O fundo da FTX Ventures será um dos maiores da indústria e já tem sua atenção voltada para jogos que oferecem recompensas em criptomoedas e segurança

Investimentos em startups poderão variar de 100 mil a milhões de dólares (Denes Farkas/Thinkstock)

Investimentos em startups poderão variar de 100 mil a milhões de dólares (Denes Farkas/Thinkstock)

Coindesk

Coindesk

Publicado em 14 de janeiro de 2022 às 16h43.

A corretora de criptomoedas FTX criou um fundo de 2 bilhões de dólares para investir em startups da indústria cripto, informou o Wall Street Journal citando Amy Wu, que lidera o fundo. Posteriormente, Wu confirmou a notícia em uma publicação no Twitter.

A FTX Ventures é um dos maiores fundos do setor, segundo a notícia. O valor total veio da FTX e de seu fundador, Sam Bankman-Fried. Os investimentos em startups poderão ser tão baixos quanto 100 mil dólares e tão altos quanto centenas de milhões de dólares.

Wu, que ingressou na FTX este mês vinda da Lightspeed Venture Partners, disse que o fundo poderia investir todo os 2 bilhões de dólares até o próximo ano, mas isso dependerá das oportunidades que a FTX ver no mercado. Em outubro, a corretora captou 420,7 milhões de dólares e foi avaliada em 25 bilhões.

Wu disse ao WSJ que está particularmente interessada em empresas de jogos play-to-earn, bem como em produtos de seguros e segurança.

A FTX Ventures se junta a fundos criados por outras corretoras de criptomoedas, como o Binance Labs e Coinbase Ventures. Ambos já existem há vários anos.

Os fundos relacionados a criptomoedas cresceram no ano passado, à medida que os preços subiram. Em novembro, a Paradigm lançou um fundo de 2,5 bilhões de dólares, o maior da indústria cripto.

Texto traduzido por Mariana Maria Silva e republicado com autorização da Coindesk

Siga o Future of Money nas redes sociais: Instagram | Twitter | YouTube | Telegram | Tik Tok

Acompanhe tudo sobre:BlockchainCriptoativosCriptomoedasFinançasStartups

Mais de Future of Money

Segurança, nuvem e IA generativa de mãos dadas no mercado financeiro

Ciclo de alta das criptomoedas chega à segunda fase: o que esperar?

Bancos gastam 25 vezes mais que fintechs com segurança digital, mas perdem 5 vezes mais em fraudes

Criptomoedas não são afetadas por apagão cibernético e usuários elogiam blockchain

Mais na Exame