Nissan espera vender 50% de carros elétricos até 2050

No ano passado, apenas 10% das vendas globais da Nissan foram de carros elétricos ou híbridos
 (Francois Lenoir/Reuters)
(Francois Lenoir/Reuters)
A
AFPPublicado em 29/11/2021 às 07:56.

A montadora Nissan deseja que metade de suas vendas em todo o mundos eja de carros elétricos ou híbridos até 2030, e planeja gastar bilhões de dólares na iniciativa, anunciou a empresa nesta segunda-feira (29).

Desta maneira, a empresa segue os passos de outras grandes fabricantes de veículos, que anunciaram uma guinada para os carros elétricos e híbridos com a crescente preocupação com a mudança climática.

Ao apresentar o plano de longo prazo, a Nissan informou que lançará 23 novos modelos, incluindo 15 carros elétricos, para alcançar a meta até 2030.

  • Quais são as tendências entre as maiores empresas do Brasil e do mundo? Assine a EXAME e saiba mais.

No ano passado, apenas 10% das vendas globais da Nissan foram de carros elétricos ou híbridos. A empresa afirmou que a nova meta ajudará a alcançar a neutralidade de carbono até 2050.

A Nissan sofreu uma série de problemas nos últimos anos, de uma demanda fraca antes da pandemia até a detenção e posterior fuga de seu ex-CEO Carlos Ghosn, acusado de fraude.

Depois de ficar atrás dos rivais durante a pandemia, a empresa começou a se recuperar e triplicou a previsão de lucro líquido para este ano.

O presidente da montadora, Makoto Uchida, afirmou que o plano a longo prazo "transformará a Nissan para ser uma empresa sustentável".

Esta é uma mudança de grande parte da indústria automobilística. A sueca Volvo se comprometeu a abandonar totalmente a venda de carros a combustível até 2030. A japonesa Honda estabeleceu a mesma meta para 2040.

A líder mundial Toyota afirmou que até 2030 todas as suas vendas na Europa serão de modelos elétricos ou híbridos, com a meta de 70% na América do Norte, e 100% para a China em 2035.

A Nissan anunciou que 20 de seus novos modelos elétricos chegarão ao mercado nos próximos cinco anos e espera que estes carros alcancem 75% de suas vendas europeias até o ano fiscal de 2026.