Índia no caminho de meta de mistura de 20% de etanol à gasolina

O plano da Índia, que deve gastar quase US$ 7 bilhões para impulsionar a produção de etanol, ampliará o uso de energia renovável no país e ajudará a transformar o excedente de arroz e grãos danificados em combustíveis verdes
 (Busakorn Pongparnit/Getty Images)
(Busakorn Pongparnit/Getty Images)
B
BloombergPublicado em 19/07/2021 às 09:31.

A Índia está no caminho para cumprir a meta de misturar 20% de etanol na gasolina, enquanto o terceiro maior importador de petróleo do mundo expande sua cesta de matérias-primas para biocombustíveis, desde melaço e caldo de cana-de-açúcar até grãos danificados e resíduos agrícolas.

“O desafio é criar esse tipo de capacidade no curto período dos próximos três a quatro anos”, disse Pramod Chaudhari, presidente do conselho da Praj Industries, uma empresa de engenharia que fornece soluções para usinas de etanol. “Está na direção certa”, disse em entrevista à Bloomberg Television na sexta-feira.

O primeiro-ministro da Índia, Narendra Modi, anunciou no mês passado a meta de produzir gasolina com 20% de etanol em cinco anos até 2025, medida que deve ajudar o país a economizar anualmente cerca de US$ 4 bilhões.

O plano da Índia, que deve gastar quase US$ 7 bilhões para impulsionar a produção de etanol, ampliará o uso de energia renovável no país e ajudará a transformar o excedente de arroz e grãos danificados em combustíveis verdes.

Embora a maior parte da produção de etanol da Índia seja feita atualmente de melaço da cana-de-açúcar, o país do sul da Ásia busca uma maior produção de biocombustíveis de fontes não açucareiras, que representam menos de 10% do abastecimento atual.

Cerca de 10 bilhões de litros de etanol serão necessários a cada ano para cumprir a meta até 2025, de acordo com o Ministério do Petróleo. Seria o triplo da quantidade usada na mistura em comparação com 2020-21, quando o etanol deve responder por cerca de 9% da gasolina misturada, disse.

“Centenas de usinas precisam ser erguidas em todo o país”, disse. “É possível atingir esse nível em um futuro próximo”, já que o país vai usar não apenas melaço, mas também grãos danificados e resíduos agrícolas para produzir etanol, disse Chaudhari.

A Praj desenvolveu uma tecnologia para fabricar etanol a partir de resíduos agrícolas, que geralmente são queimados pelos fazendeiros para abrir espaço para a próxima safra. Três projetos baseados na tecnologia, com o primeiro para a Índia, estão em andamento disse.