• AALR3 R$ 20,11 -0.94
  • AAPL34 R$ 67,44 0.12
  • ABCB4 R$ 16,82 1.02
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.06
  • AERI3 R$ 3,58 -0.83
  • AESB3 R$ 10,69 0.66
  • AGRO3 R$ 31,09 -0.06
  • ALPA4 R$ 20,19 -3.07
  • ALSO3 R$ 19,28 1.42
  • ALUP11 R$ 27,39 0.29
  • AMAR3 R$ 2,37 -1.25
  • AMBP3 R$ 29,56 -2.44
  • AMER3 R$ 21,90 -4.28
  • AMZO34 R$ 64,56 1.24
  • ANIM3 R$ 5,38 0.37
  • ARZZ3 R$ 78,77 -1.29
  • ASAI3 R$ 15,59 -1.95
  • AZUL4 R$ 20,11 -2.80
  • B3SA3 R$ 11,75 -2.25
  • BBAS3 R$ 37,33 -1.24
  • AALR3 R$ 20,11 -0.94
  • AAPL34 R$ 67,44 0.12
  • ABCB4 R$ 16,82 1.02
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.06
  • AERI3 R$ 3,58 -0.83
  • AESB3 R$ 10,69 0.66
  • AGRO3 R$ 31,09 -0.06
  • ALPA4 R$ 20,19 -3.07
  • ALSO3 R$ 19,28 1.42
  • ALUP11 R$ 27,39 0.29
  • AMAR3 R$ 2,37 -1.25
  • AMBP3 R$ 29,56 -2.44
  • AMER3 R$ 21,90 -4.28
  • AMZO34 R$ 64,56 1.24
  • ANIM3 R$ 5,38 0.37
  • ARZZ3 R$ 78,77 -1.29
  • ASAI3 R$ 15,59 -1.95
  • AZUL4 R$ 20,11 -2.80
  • B3SA3 R$ 11,75 -2.25
  • BBAS3 R$ 37,33 -1.24
Abra sua conta no BTG

Empresa britânica se une à Equinor para reciclagem de ímãs

O acordo é para que os ímãs das naceles das turbinas eólicas, a parte central que permite gerar eletricidade
 (Thinkstock/Foto)
(Thinkstock/Foto)
Por BloombergPublicado em 26/01/2022 11:18 | Última atualização em 26/01/2022 11:18Tempo de Leitura: 2 min de leitura

À medida que os governos procuram garantir estoques de materiais de terras raras cruciais, a Pensana, do Reino Unido, assinou um acordo com a empresa de energia Equinor para buscar o desenvolvimento de um método de baixo consumo de energia para a reciclagem de ímãs.

O acordo é para que os ímãs das naceles das turbinas eólicas, a parte central que permite gerar eletricidade, sejam reciclados usando hidrogênio no centro da Pensana no parque Saltend Chemicals. A empresa de terras raras visa a reciclar um mercado anual de 4.000 toneladas de ímãs.

Terras raras são cruciais para produtos de alta tecnologia, de discos rígidos de computador a sistemas de mísseis, e são uma parte essencial de produtos relacionados ao meio ambiente que são fundamentais para combater as mudanças climáticas. Embora sejam bastante comuns, a China dominou o processamento dos materiais por mais de uma década e os preços aumentaram recentemente, pois a demanda ultrapassou a produção. Isso está levando a uma busca para garantir mais oferta.

O uso de hidrogênio nas instalações em Saltend ajudará a oferecer uma alternativa de produção que usa 88% menos energia do que a fabricação de ímãs virgens, disse a empresa em um comunicado.